Julian Smith/EFE
Julian Smith/EFE

Murray se despede do Aberto da Austrália com derrota e Federer vence fácil

Em sua volta após 4 meses, Rafael Nadal vence James Duckworth

Redação, Estadão Conteúdo

14 de janeiro de 2019 | 11h02

Em estágios bem diferentes da carreira, Roger Federer e Andy Murray entraram em quadra nesta segunda-feira no Aberto da Austrália e também tiveram destinos opostos. Enquanto o suíço avançou com tranquilidade para a segunda rodada do primeiro Grand Slam da temporada, o britânico caiu logo na estreia, naquele que foi o último jogo da sua carreira em Melbourne.

Murray, porém, não se despediu sem lutar. E muito. O britânico, que anunciou, às vésperas do Aberto da Austrália, a decisão de se aposentar na próxima edição de Wimbledon, por causa das constantes dores na região do quadril, ficou em quadra por 4 horas e 9 minutos. Mas não conseguiu avançar no primeiro Grand Slam da temporada.

Cinco vezes vice-campeão em Melbourne, Murray, hoje apenas o número 229 do mundo, encarou o espanhol Roberto Bautista Agut, o 24º colocado no ranking da ATP, e perdeu por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 6/4, 6/7 (5/7), 6/7 (4/7) e 6/2.

A derrota desta segunda-feira foi a primeira de Murray em um rodada inicial de Grand Slam desde a edição de 2008 do Aberto da Austrália. Esta também foi a primeira vitória de Bautista Agut, em quatro confrontos com o britânico. E agora o espanhol, que neste começo de temporada foi campeão do Torneio de Doha, terá pela frente o australiano John Millman.

Bautista Agut fechou a partida com 53 winners, três a mais do que Murray. E também cometeu menos erros não-forçados - 37 a 51. O espanhol venceu o equilibrado primeiro set após converter o seu único break point no nono game, tendo se salvado de perder o saque no seu serviço anterior. O segundo set foi parecido, com Bautista Agut também vencendo por 6/4 após ser o único a conseguir aproveitar um break point na parcial.

Só que Murray não desistiu. Exibiu garra e vibração para levar os dois sets seguintes ao tie-break, sendo superior em ambos para empatar o jogo em 2 a 2. Mas o britânico não manteve o ritmo na parcial decisiva, exibindo cansaço e sentindo os efeitos da dores no quadril, o que ficou claro na sua pouca movimentação em quadra.

Bautista Agut se aproveitou para logo abrir 5/1, com duas quebras de serviço. Murray ainda venceu um game, mas caiu por 6/2. Mas deixou a quadra da Melbourne Arena ovacionado pela torcida, se despedindo do Aberto da Austrália.

FEDERER VENCE FÁCIL

Atual bicampeão do Grand Slam realizado em Melbourne e dono de seis títulos do evento, Federer não teve problemas para triunfar nesta segunda. O número 3 do mundo encarou e venceu o usbeque Denis Istomin, o 101º colocado no ranking da ATP, por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/4 e 6/4, em 1 hora e 57 minutos.

Esta foi a 94ª vitória de Federer no Aberto da Austrália, sendo a 15ª consecutiva. E o seu próximo adversário em Melbourne vai ser o britânico Daniel Evans (189º do mundo), que na sua estreia derrotou o japonês Tatsuma Ito (7/5, 6/1 e 7/6).

Sem ter o seu saque ameaçado em todo o duelo, Federer converteu três de nove break points, sendo um em cada set. As quebras de serviço ocorreram no quarto da primeira parcial e no quinto da segunda e da terceira. O suíço também fechou o duelo com 52 winners, 30 a mais do que Istomin. E cometeu 30 erros não-forçados, nove a mais do que o oponente.

Vice-campeão do Aberto da Austrália em 2018, o croata Marin Cilic teve êxito na sua estreia. O número 7 do mundo passou pelo australiano Bernard Tomic, 88º colocado no ranking, por 3 sets a 0, com parciais de 6/2, 6/4 e 7/6 (7/3), em 2 horas e 3 minutos. O norte-americano Mackenzie McDonald (79º), que derrotou o russo Andrey Rublev por 6/4, 6/4, 2/6 e 6/4, será o seu oponente na segunda rodada em Melbourne. 

RAFAEL NADAL VOLTA COM VITÓRIA

Rafael Nadal não entrava em quadra para uma partida oficial havia mais de quatro meses. Desde a desistência na semifinal do US Open do ano passado por causa de dores no joelho, o espanhol passou até por uma cirurgia no tornozelo direito em novembro. No início deste mês participou de dois jogos de exibição, mas foi nesta segunda-feira que voltou ao circuito profissional na sua estreia pelo Aberto da Austrália. E mostrou a boa e velha forma ao derrotar o local James Duckworth, convidado da organização, por 3 sets a 0 - com parciais de 6/4, 6/3 e 7/5, em 2 horas e 15 minutos.

 

Número 2 do mundo, Nadal busca em Melbourne o seu 18.º título de Grand Slam na carreira. No ano passado teve de desistir nas quartas de final, mas agora quer ir passo a passo no torneio. "Não é fácil voltar depois de muitos meses de competição, especialmente contra um jogador super agressivo nos seus golpes. É muito difícil começar depois de uma lesão. E sei bem como é isso", disse o espanhol. "É uma vitória importante porque é a primeira depois de um tempo e, ao mesmo tempo, me dá mais chances de estar em quadra".

Na partida, Nadal mostrou superioridade e poucas chances deu ao rival. Somente no terceiro set permitiu uma quebra de saque, mas logo a devolveu e no final conseguiu a vitória sobre Duckworth, somente o número 237 do ranking mundial. O espanhol só perdeu duas vezes na estreia de Grand Slams - para o belga Steve Darcis, em Wimbledon, em 2013, e para o compatriota Fernando Verdasco, na Austrália, em 2016.

Na segunda rodada, Nadal terá pela frente outro australiano. Será Matthew Ebden, atual 48.º do mundo, que ganhou de virada do alemão Jan-Lennard Struff por 3 sets a 1 - com parciais de 1/6, 6/4, 6/3 e 6/4, em 2 horas e 22 minutos.

 

OUTROS JOGOS

Com um pouco mais de dificuldade que Nadal, o sul-africano Kevin Anderson também estreou com vitória nesta segunda-feira. Número 6 do mundo, o quinto pré-classificado em Melbourne passou pelo francês Adrian Mannarino por 3 sets a 1 - com parciais de 6/3, 5/7, 6/2 e 6/1. Seu próximo rival será o norte-americano Frances Tiafoe, que ganhou do indiano Prajnesh Gunneswaran por 7/6 (9/7), 6/3 e 6/3.

Cabeça de chave número 10, o russo Karen Khachanov derrotou o alemão Peter Gojowczyk por 3 sets a 1 - com parciais de 3/6, 6/3, 6/4 e 6/3. Agora vai enfrentar o japonês Yoshihito Nishioka, que bateu o norte-americano Tennys Sandgren por 6/4, 7/6 (7/5), 4/6 e 6/4.

Outros pré-classificados que avançaram à segunda rodada foram o grego Stefanos Tsitsipas (cabeça 14), o argentino Diego Schwartzman (18), o georgiano Nikoloz Basilashvili (19), o búlgaro Grigor Dimitrov (20), o espanhol Fernando Verdasco (26), o australiano Alex de Minaur (27) e o francês Gael Monfils (30).

Dos cabeças de chave que caíram na estreia, destaque para o britânico Kyle Edmund. O 13.º pré-classificado perdeu para o checo Tomas Berdych, ex-número 4 do mundo e atualmente em 57.º, por 3 sets a 0 - com parciais de 6/3, 6/0 e 7/5. O tenista da República Checa encara agora o holandês Robin Haase, que passou pelo espanhol Guillermo García-López por 7/5, 6/4 e 7/5.

Dois norte-americanos entre os 32 cabeças de chave também foram precocemente eliminados. Nono pré-classificado, John Isner caiu para o compatriota Reilly Opelka, número 97 do mundo, por 3 sets a 1 - com parciais de 7/6 (7/4), 7/6 (8/6), 6/7 (4/7) e 7/6 (7/5). E Steve Johnson, cabeça 31, perdeu para o italiano Andreas Seppi por 6/4, 4/6, 6/4 e 6/3.

Outros classificados nesta segunda-feira foram os norte-americanos Mackenzie Mcdonald, Taylor Fritz e Denis Kudla, os australianos John Millman e Jordan Thompson, os italianos Stefano Travaglia e Thomas Fabbiano, o moldavo Radu Albot, o sérvio Viktor Troicki, o britânico Daniel Evans, o uruguaio Pablo Cuevas e o suíço Henri Laaksonen.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.