New York Times
New York Times

Murray vira sobre francês por 3 a 2 e pega Bellucci no US Open

Britânico derrota Adrian Mannarino e encara brasileiro na 3ª rodada

Estadão Conteúdo

03 de setembro de 2015 | 20h10

O britânico Andy Murray teve um trabalho e tanto nesta quinta-feira para avançar à terceira rodada do US Open, o quarto e último Grand Slam da temporada. Na principal quadra do complexo de Flushing Meadows, a Arthur Ashe, em Nova York, o atual número 3 do mundo suou bastante para derrotar de virada o francês Adrian Mannarino, 35.º do ranking da ATP, por 3 sets a 2 - com parciais de 5/7, 4/6, 6/1, 6/3 e 6/1, após 3 horas e 13 minutos.

O próximo adversário de Murray, neste sábado, será o brasileiro Thomaz Bellucci, que mais cedo ganhou do japonês Yoshihito Nishioka. O único duelo anterior entre os dois aconteceu em 2011, quando o número 1 do Brasil fez uma campanha histórica no Masters 1000 de Madri, na Espanha. Naquele ano, bateu Murray em sets diretos nas oitavas de final, superou o checo Tomas Berdych nas quartas e só parou nas semifinais em derrota de virada para o sérvio Novak Djokovic.

Pouco depois de vencer Nishioka, Bellucci falou sobre a possibilidade de encarar Murray. "Tenho a chance de jogar contra o Murray se ele ganhar. Espero entrar em quadra firme e fazer um bom jogo como venho fazendo com os caras tops. Ele está em grande fase, mas estou me sentindo bem e sei que terei as minhas chances", afirmou o brasileiro.

Na chave de duplas, Bellucci e o gaúcho Marcelo Demoliner vão enfrentar na segunda rodada, nesta sexta-feira, a parceria formada pelo alemão Tommy Haas e checo Radek Sepanek, que derrotaram o uruguaio Pablo Cuevas e o espanhol David Marrero, cabeças de chave 13, por 6/2, 3/6 e 6/3.

FEDERER

Número 2 do ranking mundial, o suíço Roger Federer segue com sua sequência impressionante. Nesta quinta-feira, o veterano de 34 venceu o belga Steve Darcis por 3 sets a 0, com parciais de 6/1, 6/2 e 6/1, e avançou à terceira rodada do US Open, último Grand Slam do ano, disputado em Nova York.

Passar de fase num Grand Slam é algo recorrente na carreira de um dos melhores tenistas de todos os tempos. Mas o que ele está fazendo nos últimos dias é coisa raríssima. Há sete jogos Federer não tem seu serviço quebrado - passou zerado pelo Torneio de Cincinnati e pelas duas primeiras rodadas do US Open. O último tenista a pontuar com o suíço sacando foi Novak Djokovic, na final de Wimbledon.

Nesta quinta-feira, o belga Steve Darcis, 66.º do ranking mundial, não chegou nem perto de oferecer perigo ao suíço. Federer, com isso, manteve a rotina: nunca perdeu antes da terceira rodada do US Open na carreira. 

OUTROS JOGOS

O suíço Stan Wawrinka não precisou de cinco sets, mas teve dificuldades para passar pelo sul-coreano Hyeon Chung nesta quinta-feira. O cabeça de chave número 5 jogou três tie-breaks para ganhar por 3 sets a 0 - parciais de 7/6 (7/2), 7/6 (7/4) e 7/6 (8/6). Na terceira rodada, jogará contra o belga Rubens Bemelmans, que eliminou o norte-americano Jack Sock.

Com mais facilidade, graças aos seus saques potentes, o local John Isner avançou ao ganhar do russo Mikhail Youzhny por 3 sets a 0 (6/3, 6/4 e 6/4). O próximo rival será o checo Jiri Vesely, que surpreeendeu ao bater o croata Ivo Karlovic, cabeça de chave 21, por 3 a 2 - parciais de 7/6 (7/3), 3/6, 3/6, 6/2 e 7/6 (7/4).

Outros classificados do dia foram o sul-africano Kevin Anderson (cabeça 15), o austríaco Dominic Thiem (cabeça 20), o sérvio Victor Troicki (cabeça 22), o espanhol Guillermo García-López (cabeça 31) e o norte-americano Donald Young.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.