Al Bello/AFP
Al Bello/AFP

Na 1ª final em Roland Garros, Bruno Soares busca 2º título seguido de Grand Slam

Ao lado de Mate Pavic, brasileiro enfrenta Kevin Krawietz e Andreas Mies, ambos da Alemanha

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2020 | 05h01

Em grande fase, Bruno Soares entrará em quadra neste sábado, por volta das 12 horas (de Brasília), para buscar seu segundo título consecutivo de Grand Slam. Após ser campeão do US Open, no mês passado, o duplista brasileiro tenta repetir os feitos de Gustavo Kuerten e Marcelo Melo para brilhar também em Roland Garros.

Soares e o croata Mate Pavic, que venceram juntos em Nova York, vão enfrentar os atuais campeões em Paris, Kevin Krawietz e Andreas Mies, ambos da Alemanha. O mineiro mira o sétimo título de Slam da carreira. Ele tem quatro troféus do US Open (dois no masculino e dois nas duplas mistas) e dois no Aberto da Austrália (um em cada chave).

"Os Grand Slams são os torneios que queremos estar, os jogos que queremos disputar e os troféus que queremos conquistar. Agora é focar todas as forças e energia para o último jogo, buscando as inspirações do nosso Guga para buscar esse caneco no sábado", projetou Soares. Guga é tricampeão de Roland Garros, nas chaves de simples, enquanto Melo venceu nas duplas em 2015.

Em busca também do 34º título da carreira, Soares está embalado em Paris. Ele e Pavic já despacharam duas das duplas mais favoritas ao título. Na semifinal, eliminaram os colombianos Juan Sebastián Cabal e Robert Farah, que formam a melhor parceria do mundo na atualidade.

JUVENIL

A fase do mineiro está tão boa que até seus pupilos estão se destacando em Roland Garros. Natan Rodrigues e Bruno Oliveira vão disputar a final de duplas da chave juvenil também neste sábado. Baiano e mineiro, cabeças de chave número oito, vão duelar com o italiano Flávio Cobolli e o suíço Dominic Stephan Stricker, uma das parcerias favoritas ao título.

Os jovens duplistas brasileiros treinam com o apoio de Soares em sua academia, em Belo Horizonte. Eles integram o Time Guga, que tem o experiente mineiro e o técnico Hugo Daibert como dois dos seus principais representantes.

No sábado, Natan e Bruno buscam o terceiro título do País na história do juvenil de Roland Garros. Antes, Guga foi campeão nas duplas em 1994, ao lado do equatoriano Nicolas Lapentti. E, em 2019, Matheus Pucinelli levantou o troféu jogando com o argentino Thiago Tirante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.