Luc Claessen/AFP
Luc Claessen/AFP

Na Bélgica, Murray avança à primeira final desde cirurgia no quadril

'Tem sido um longo caminho para voltar a esse ponto', comemora o britânico sobre seu melhor desempenho desde a volta às quadras

Redação, Estadão Conteúdo

19 de outubro de 2019 | 17h56

Hoje apenas o número 243 do mundo, o britânico Andy Murray jogará a sua primeira decisão no circuito da ATP desde março de 2017 após derrotar o francês Ugo Humbert (70º), de virada, por 3/6, 7/5 e 6/2, pelas semifinais do Torneio de Antuérpia, neste sábado.

Murray vai enfrentar na decisão do ATP 250 belga, neste domingo, o suíço Stan Wawrinka, dono de três títulos de Grand Slam e número 18 do mundo, que venceu o italiano Janik Sinner (119º), de apenas 18 anos, por 6/3 e 6/2.

Para Murray, é seu melhor desempenho desde a cirurgia no quadril em janeiro, uma lesão que o levou a cogitar a aposentadoria. Ele selou a vitória sobre Humbert após 2 horas e 22 minutos com um fácil voleio na rede.

"Tem sido um longo caminho para voltar a esse ponto", disse Murray. "Eu certamente não esperava que chegasse tão cedo desde que comecei a jogar novamente. Esta foi uma grande surpresa para mim e estou feliz por chegar à final."

Wawrinka teve mais facilidade depois de se recuperar de uma desvantagem de 2/0 no primeiro set, precisando de apenas 65 minutos para vencer Sinner. O suíço, de 34 anos, busca seu primeiro título da ATP desde o Torneio de Genebra de 2017.

"Stan é um jogador brilhante. Jogamos um contra o outro em grandes duelos no passado, em grandes torneios", disse Murray, que está em vantagem de 11 a 8 no confronto direto com Wawrinka. "Na verdade, foi numa partida contra ele em Roland Garros em 2017 quando meus problemas no quadril realmente começaram. Foi uma partida dura de cinco sets na semifinal e meu quadril nunca se recuperou daquilo, é legal voltar a jogar contra ele na final".

Tudo o que sabemos sobre:
tênisAndy MurrayStan Wawrinka

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.