Tony O'Brien/Reuters
Tony O'Brien/Reuters

Na estreia em Doha, Bruno Soares sofre para vencer primeira partida em 2018

Brasileiro e britânico Jamie Murray têm dificuldades para bater de virada paquistanês e polonês no Catar

O Estado de S. Paulo

01 Janeiro 2018 | 17h02

Ao lado de seu habitual companheiro nas duplas, o britânico Jamie Murray, o tenista brasileiro Bruno Soares sofreu em sua primeira partida na temporada de 2018. Nesta segunda-feira, na estreia pelo ATP 250 de Doha, no Catar, os dois tiveram trabalho para derrotar de virada a parceria formada pelo paquistanês Aisam-Ul-Haq Qureshi e pelo polonês Marcin Matkowski por 2 sets a 1 - com parciais de 3/6, 7/6 (7/5) e 10 a 5 no match tie-break.

+ Alemanha supera Bélgica na Copa Hopman

+ Bia Haddad pega Radwanska em Auckland

Cabeças de chave número 1 da competição, Bruno Soares e Jamie Murray já sabem quem enfrentarão nas quartas de final. Os rivais serão o croata Borna Coric e o alemão Jan-Lennard Struff, que nesta segunda-feira ganharam da dupla formada pelos sérvios Filip Krajinovic e Viktor Troicki por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (8/6) e 6/4.

Na chave de simples, o principal favorito ao título também fez a sua estreia nesta segunda-feira. O austríaco Dominic Thiem, atual número 5 do mundo, venceu o russo Evgeny Donskoy por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/3) e 6/3, e agora jogará pelas oitavas de final contra o vencedor do duelo entre o esloveno Aljaz Bedene e o tunisiano Malek Jaziri.

Outro cabeça de chave que ganhou nesta rodada inaugural em Doha foi o espanhol Fernando Verdasco. Sétimo pré-classificado, derrotou de virada o israelense Dudi Sela por 2 sets a 1 - com parciais de 4/6, 6/4 e 6/0. Seu próximo rival será o russo Andrey Rublev, que passou com a desistência do alemão Cedrik-Marcel Stebe.

NA AUSTRÁLIA

Em outro torneio de nível ATP 250 nesta primeira semana de 2018, o britânico Andy Murray conheceu nesta segunda-feira o seu primeiro rival no ano em Brisbane. Atual 16.º colocado do ranking, o ex-número 1 do mundo e cabeça de chave 2 enfrentará o norte-americano Ryan Harrison, que bateu o argentino Leonardo Mayer por 2 sets 1 - com parciais de 6/4, 3/6 e 6/2.

Outros vencedores desta segunda-feira na competição em quadras duras, preparatória para o Aberto da Austrália, foram o argentino Horacio Zeballos, o alemão Mischa Zverev e o norte-americano Jared Donaldson.

NA ÍNDIA

Em Pune, que recebe pela primeira vez o ATP 250 da Índia no lugar da cidade de Chennai, o croata Marin Cilic, número 6 do mundo e cabeça 1 do torneio, terá pela frente em sua estreia, nas oitavas de final, um convidado local. Nesta segunda-feira, o indiano Ramkumar Ramanathan ganhou do espanhol Roberto Carballes Baena por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/4) e 6/2.

Outros vencedores desta segunda-feira na competição em quadras duras, também preparatória para o Aberto da Austrália, foram os franceses Gilles Simon e Pierre-Hugues Herbert, o russo Mikhail Kukushkin, o chileno Nicolas Jarry, o húngaro Marton Fucsovics e o espanhol Ricardo Ojeda Lara.

Além de aproveitar o período em solo norte-americano para desenvolver ainda mais a internacionalização de sua marca - a Florida Cup é transmitida para cerca de 140 países -, o Corinthians valoriza a infraestrutura encontrada em Orlando, com condições de trabalho muito elogiadas pela comissão técnica alvinegra. O treinador Fábio Carille, que já esteve nos Estados Unidos como auxiliar de Tite e também como comandante no ano passado, é um dos mais entusiasmados com a pré-temporada na Flórida.

"Eu vejo de forma muito positiva a nossa participação na Florida Cup. Nesta temporada mesmo, os jogos no torneio nos serviram de base para a montagem do nosso esquema de jogo. A resposta da equipe, principalmente já na partida contra o Vasco, mesmo com a diferença no tempo de preparação, nos deu uma tranquilidade maior para seguirmos na nossa ideia de plano de jogo. Eu, inclusive, considero este jogo como um dos chaves na nossa temporada. Foi vital para a sequência e para as conquistas que alcançamos", afirma Carille, citando a vitória por 4 a 1 sobre o Vasco da Gama, no dia 18 de janeiro de 2017, em Orlando.

"A Florida Cup nos oferece uma pré-temporada de excelência. Sempre fomos muito bem recebidos, nossas instalações são excelentes. As experiências que tivemos foram muito válidas, e creio que nesta próxima temporada não será diferente", completa o treinador alvinegro.

Carille elogiou também o fato de o Timão poder realizar confrontos de alto nível técnico em Orlando, o que, segundo ele, ajuda na montagem da equipe para o restante da temporada. O jogo de abertura da Florida Cup 2018 será entre Corinthians e PSV Eindhoven, líder do Campeonato Holandês, no dia 10 de janeiro, no Orlando City Stadium, uma das arenas mais modernas dos Estados Unidos. Depois, o time alvinegro voltará a campo no dia 13, diante do tradicional Rangers, vice-líder do Campeonato Escocês, no Spectrum Stadium, em Orlando.

"É sempre muito bom enfrentar adversários que você não está acostumado, conhecer novas ideias, ver como essas equipes se portam. Em outras edições, enfrentamos o Bayer Leverkusen, o Shakhtar Donetsk... São grandes times, acostumados a jogar a Liga dos Campeões da Europa. Foram experiências muito positivas. Os europeus vêm em meio de temporada, e nós iniciando um trabalho ainda, mas mesmo assim a resposta da nossa equipe sempre foi boa. Tenho certeza de que vai ser bem bacana enfrentá-los. Sei que estaremos abaixo fisicamente, ainda em início de preparação, mas será produtivo", ressalta Fábio Carille.

O treinador corintiano aproveitou para elogiar o lendário holandês Phillip Cocu, atual técnico do PSV Eindhoven. O ex-volante do Barcelona e da seleção holandesa vem fazendo história no comando do PSV: está no cargo desde 2013 e já levantou duas taças do Campeonato Holandês, além de uma Copa da Holanda. Na atual temporada, o PSV está na liderança da liga, com 39 pontos ganhos - 13 vitórias em 15 jogos -, com cinco pontos à frente do segundo colocado, o AZ Alkmaar. Os grandes rivais Ajax e Feyenoord estão na terceira e na quinta colocação, respectivamente. Campeão paulista e brasileiro em 2017, Carille espera construir uma história de sucesso semelhante à de Cocu como treinador.

"Eu sempre falei nas minhas entrevistas que sei que é difícil ficar muito tempo no mesmo clube, até por uma questão cultural que existe no Brasil, mas eu sonho sim em me tornar um dos primeiros a ficar por muitos anos em um clube, aqui no Corinthians. É muito difícil, sim, nosso futebol é bastante em cima de resultado, mas acho que as coisas já estão mudando um pouco, e eu projeto isso. A minha história se parece um pouco com a dele [Cocu], né? O PSV é o primeiro clube dele como técnico, e já ganhou vários títulos importantes. Espero ter o mesmo sucesso que ele e dar sequência a este trabalho por aqui", planeja Carille.

Mesmo em férias, o treinador do Corinthians tem mantido contato com a diretoria alvinegra, visando a montagem do elenco para a temporada 2018. A volta aos trabalhos com o grupo de jogadores está marcada para 3 de janeiro, no CT Joaquim Grava. Dias depois, a delegação corintiana viajará para Orlando, iniciando a preparação na Florida Cup.

Mais conteúdo sobre:
tênis Bruno Soares Jamie Murray

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.