Steven Ryan / AFP
Steven Ryan / AFP

Nadal admite surpresa com 'pneu', mas exalta vitória de 4h48min sobre Thiem

Espanhol teve começo ruim na partida, mas conseguiu equilibrar e avançou para semifinal do US Open

Estadão Conteúdo

05 Setembro 2018 | 08h58

O espanhol Rafael Nadal passou por seu teste mais difícil até agora no US Open, na madrugada desta quarta-feira, em Nova York. O número 1 do mundo levou um "pneu" logo no primeiro set da partida contra o austríaco Dominic Thiem e precisou de 4h48min para fechar o jogo em cinco sets, com parciais de 0/6, 6/4, 7/5, 6/7 (4/7) e 7/6 (7/5). Na semifinal, ele enfrentará o argentino Juan Martín del Potro.

Um dos melhores jogos da competição, o duelo contou com jogadas espetaculares de ambos os tenistas, que haviam disputado a final de Roland Garros. "Dominic é um companheiro exemplar no circuito e me sinto mal por ele", admitiu Nadal, logo após impor dura derrota ao número nove do mundo. "Quando se chega a uma situação como essa, no quinto set, com 5/5 no tie-break, é um moeda jogada ao ar", declarou o espanhol.

Nadal admitiu a surpresa com o placar do set inicial, quando Thiem dominou com facilidade, disparando bolas vencedoras de todos os cantos da quadra - foram 74 em toda a partida, contra 55 do espanhol. "Um 6/0 é um resultado muito perigoso. No primeiro set, eu ganhei apenas sete pontos, não houve um jogo."

O espanhol só equilibrou a partida a partir da metade do segundo set. Ele fechou esta parcial e ainda contou com erros do rival para fechar a terceira parcial por 7/5, quando o duelo se encaminhava para o tie-break. "Ele tem uma atitude muito boa na quadra, nos treinos e nas partidas. Gosto muito de pessoas que se esforçam para alcançarem seus objetivos e Dominic é assim", elogiou Nadal.

Apesar da derrota, o austríaco obteve uma quebra a mais que o líder do ranking na partida: 6 a 5. Também somou mais pontos no cômputo geral. Foram 171, contra 165 do atual campeão do US Open. Nada disso, porém, evitou a vitória do cada vez mais embalado Nadal.

"O tênis às vezes é cruel. Esta partida não merecia um perdedor, mas tem que haver um. E, se desconsideramos o primeiro set, houve um equilíbrio ao longo da partida", disse Thiem, conformado com a derrota, que marcou a melhor campanha do austríaco no US Open. Até então, ele nunca havia passado das oitavas de final.

As duas últimas parciais da partida foram as mais equilibradas. No quarto set, cada tenista faturou uma quebra de saque. E, na quinta parcial, não houve quebras. Thiem terminou o jogo com 57 erros não forçados, diante de 49 do favorito, que foi até o lado da quadra do austríaco para abraçá-lo ao fim da partida. "Espero que possamos ter no futuro outros jogos como esse, mas com um final diferente", afirmou o austríaco, sem esconder o cansaço pela "maratona", em razão do forte calor e da alta umidade em Nova York.

Na semifinal, Nadal vai reencontrar o argentino Juan Martín del Potro. Eles vão reeditar a semi do ano passado no US Open, quando o espanhol levou a melhor e depois faturou o título. O número três do mundo leva desvantagem no confronto, com apenas cinco vitórias e 11 derrotas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.