Anne-Christine POUJOULAT / AFP
Anne-Christine POUJOULAT / AFP

Nadal amplia freguesia sobre Djokovic em Roland Garros e avança às semifinais

Jogo pelo Grand Slam de Paris dura mais de quatro horas e termina com vitória do espanhol por 3 sets a 1

Redação, Estadão Conteúdo

31 de maio de 2022 | 20h27

Rafael Nadal não carrega o rótulo de rei do saibro por acaso. O espanhol é disparado um dos melhores jogadores nas quadras de terra batida e comprovou diante de Novak Djokovic, em duelo das quartas de final de Roland Garros, nesta terça-feira. Com 6/2, 4/6, 6/2 e 7/6 (7/4) em 4h12, ampliou sua freguesia sobre o número 1 do mundo no Grand Slam de Paris, com 8 a 2, e com 20 a 9 no piso preferido.

Desde a entrada na quadra dos tenistas que já dava para imaginar como seria o 59° confronto entre ambos em 16 anos de rivalidade. Nadal estava sorridente e descontraído, enquanto o sisudo Djokovic não escondia a preocupação.

O espanhol dá mais um passo para seu 14° título em Roland Garros e agora ganha o apoio do sérvio. Para não perder a liderança do ranking, Djokovic torce para que Alexander Zverev não seja campeão do torneio. O alemão é o rival de Nadal nas semifinais.

"Nadal demonstrou por que é um grande campeão. Jogou melhor em momentos importantes. Começou muito bem, mas pude voltar para o jogo e ganhar o segundo set. Depois ele voltou a aumentar seu nível de tênis", declarou o sérvio após a derrota para o espanhol, que mantém os pés no chão: "Não ganhei nada ainda, somente me foi dada a oportunidade de jogar de novo uma semifinal de Roland Garros dentro de 48 horas."

O confronto tão aguardado começou com um primeiro game de quase 11 minutos e quebra de Nadal. Djokovic teve duas chances de devolver no quarto game e desperdiçou. Não aproveitou e voltou a perder o serviço logo depois.

O espanhol sacou para fechar com 5 a 2. Com devolução do sérvio na rede, fez 6/2 em um set totalmente dominado pelo número 5 do mundo. Os erros não forçados custaram caro para Djokovic.

O segundo set começou novamente com um primeiro game longo. Com devoluções na linha e passadas, Nadal irritou o sérvio. Após 13 minutos e ida à rede, o espanhol aproveitou seu sétimo breakpoint para fazer 1 a 0. Com ace, ampliou para 2 a 0.

Nada dava certo para o número 1 do mundo. Com o 11° game em andamento, já havia cometido 10 erros não forçados. Na base da força, ele tentava voltar para o jogo. Mas o semblante fechado mostrava que não se sentia à vontade em quadra. Tinha 40 a 15 e foi novamente quebrado, ficando com 3 a 0 contra.

O sérvio precisa a reagir e em impressionante reação, virou após bola para fora do espanhol e nova quebra, por 6/4. Nadal já não encaixava suas jogadas e o atual campeão festejou apontando para a cabeça, ressaltando a batalha mental.

Pelo terceiro set seguido, Nadal começou abrindo 2 a 0. Mais concentrado e sem dar chances, fechou em 6/2 mais uma vez, encaminhando a revanche de final de 2021, na qual levou 3 a 1 do oponente.

O quarto set começou com Djokovic, enfim, abrindo 1 a 0, e levando sonora vaia ao mandar uma bola na rede e golpeá-la com sua raquete, irritado com o erro no lance. Meamo bravo e sob pressão, foi logo fazendo 3 a 0. Sacou com 5 a 3 para fechar, teve dois set points, mas foi quebrado. A parcial seria decidida no tie-break. Com Nadal implacável e fechando por 7/4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.