Roman Pilipey/ EFE
Roman Pilipey/ EFE

Nadal arrasa Kyrgios em Pequim e fatura 6º título do ano

Espanhol fecha o placar por 2 sets a 0 e garante o troféu do torneio

Estadao Conteudo

08 Outubro 2017 | 11h02

Sem dar chances a Nick Kyrgios, o espanhol Rafael Nadal se sagrou campeão do Torneio de Pequim, neste domingo. O número 1 do mundo arrasou o australiano na final da competição chinesa, de nível ATP 500, e fechou o jogo com o placar de 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1.

+ Nova nº 1, Halep perde de francesa na final do Torneio de Pequim

Foi o sexto troféu de Nadal na temporada, sendo o segundo seguido no piso duro, que nunca foi sua especialidade - o primeiro foi o US Open, última competição que disputou antes de Pequim. Foi ainda a terceira vez que o espanhol se sagrou campeão no local. Em 2005, venceu pela primeira vez e, em 2008, faturou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, na mesma quadra.

Depois de atuações irregulares e vitórias apertadas, sobre o francês Lucas Pouille e o búlgaro Grigor Dimitrov, Nadal passeou na final. Cedeu apenas três games a Kyrgios e teve o saque ameaçado em quatro oportunidades, salvando todos os break points. E ainda faturou 12 breaks, convertendo quatro deles.

Atual 19º do ranking, Kyrgios se tornou presa fácil para o favorito porque não conseguiu fazer funcionar uma de suas principais armas, o saque. Ele até anotou oito aces, mas cometeu cinco duplas faltas e colocou em quadra apenas 48% do seu primeiro serviço.

+ Soares e Murray perdem na final e ficam com o vice nas duplas em Tóquio

Sem o seu decisivo serviço, o australiano sofreu nas batalhas de fundo de quadra. Nadal pressionou o saque do adversário e obteve duas quebras em cada set, garantindo a vitória após 1h32min. O espanhol chegou ao seu 75º título da carreira, em 110 finais disputadas.

Com o resultado, ele desempatou o retrospecto direto com Kyrgios. Agora Nadal soma três vitórias, contra duas do australiano.

Mais conteúdo sobre:
Torneio de Pequim Tênis Rafael Nadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.