Andy Rain/EFE
Andy Rain/EFE

Nadal bate Berdych e enfrentará Murray no ATP Finals

Número 1 do mundo venceu o checo por 2 sets a 0 e assegurou a liderança do Grupo A

AE, Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 14h44

O espanhol Rafael Nadal venceu o checo Tomas Berdych por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/3) e 6/1, nesta sexta-feira, e avançou invicto às semifinais do ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores tenistas da temporada em Londres. O mesmo feito de encerrar a primeira fase sem derrotas já havia sido obtido pelo suíço Roger Federer, na última quinta.

Com o resultado, Nadal assegurou a liderança do Grupo A da competição, com três vitórias em três jogos, e jogará por um lugar na decisão contra o britânico Andy Murray, que terminou a primeira fase na segunda posição do Grupo B. Já Federer espera pela definição do segundo colocado da chave do tenista espanhol, que será finalizada nesta sexta, às 18 horas (horário de Brasília), com o confronto entre o sérvio Novak Djokovic e o norte-americano Andy Roddick.

A derrota para Nadal eliminou Berdych da disputa por uma vaga na semifinal. Já Roddick precisará bater Djokovic em apenas dois sets para contabilizar saldo suficiente para avançar, enquanto o sérvio terá como missão ganhar apenas um set para encarar Federer neste sábado.

No duelo desta sexta, Nadal precisou superar momentos delicados no primeiro set para encaminhar a sua vitória. Logo no primeiro game, salvou dois break points quando sacava e chegou a discutir com o árbitro brasileiro Carlos Bernardes por causa de uma marcação que favoreceu o checo quando o espanhol perdia o set por 6/5.

Em seguida, porém, Nadal confirmou o seu serviço e foi superior no tie-break para liquidar a parcial com uma vitória por 7/3. Já no segundo set, Nadal obteve a sua primeira quebra de saque logo no quarto game e, com uma nova quebra no sexto, abriu 5 a 1 e depois sacou para fechar o confronto.

Ao final do duelo, o espanhol teve coroada a sua maior eficiência no saque - teve 66% de aproveitamento no primeiro serviço, contra 44% de Berdych - e o fato de cometer menos erros: foram 13 não forçados, diante dos 32 do checo.

O triunfo de Nadal também comprovou o favoritismo que ele defendia diante do rival, que acumulou a sua nona derrota em 12 partidas contra o espanhol, sendo que o último triunfo do checo sobre o atual líder do ranking mundial aconteceu em 2006.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.