Andrew Innerarity/Reuters
Andrew Innerarity/Reuters

Nadal bate Ferrer e encara Tsonga nas quartas em Miami

Ex-número 1 do mundo nem precisou de uma grande atuação para vencer por 7/6 (7/5) e 6/4, em 1h57 de jogo

AE, Agência Estado

30 de março de 2010 | 20h05

O espanhol Rafael Nadal ainda não encontrou o seu melhor tênis desde que se recuperou da lesão no joelho direito. Mas o ex-número 1 do mundo nem precisou ter uma grande atuação nesta terça-feira para avançar às quartas de final do Masters 1000 de Miami. Nadal fez o suficiente para vencer o compatriota David Ferrer por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/5) e 6/4, em 1h57 de jogo.

Com a classificação às quartas, Nadal já repete o seu desempenho do ano passado no piso duro da Flórida. O número 4 do mundo já chegou por duas vezes na final do torneio, em 2005 e 2008, mas nunca venceu. Já com a garantia de que voltará ao posto de terceiro melhor do mundo no próximo ranking da ATP, o espanhol busca em Miami a quebra de um jejum de títulos que já dura desde maio de 2009.

Para seguir provando que está recuperado das lesões que o têm atrapalhado tanto nos últimos tempos, Nadal precisou correr no primeiro set. Foram cinco oportunidades de quebra criadas por Ferrer, número 17 do mundo. Mas o tenista de Mallorca salvou quatro e levou a decisão para o tie-break.

Já na segunda parcial, Nadal começou melhor e chegou a abrir 3/0. A vantagem, porém, fez com que ele relaxasse e Ferrer aproveitou para empatar o set. No fim, Nadal teve que quebrar novamente o saque do adversário para fechar o jogo e selar a vitória.

Nas quartas de Miami, o ex-número 1 terá pela frente o francês Jo-Wilfried Tsonga. Décimo colocado do ranking mundial, o tenista avançou ao eliminar o também espanhol Juan Carlos Ferrero. No confronto direto diante de Tsonga, Nadal tem ampla vantagem, com quatro vitórias, contra uma do francês.

Também nesta terça, o sueco Robin Soderling foi outro a se garantir nas quartas. Ele venceu o chileno Fernando González por 2 sets a 1 (6/0, 6/7 (3/7) e 6/2) e encara agora o russo Mikhail Youzhny.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.