Susana Vera / Reuters
Susana Vera / Reuters

Nadal decide e Espanha fatura em casa a 1ª edição da nova Copa Davis

Número 1 do mundo superou o canadense Denis Shapovalov para ajudar a Espanha a conquistar o hexa no torneio

Redação, Estadão Conteúdo

24 de novembro de 2019 | 17h46

Rafael Nadal mais uma vez foi decisivo. E, novamente, ele conduziu a Espanha ao título da Copa Davis. Diante da torcida, em Madri, os espanhóis derrotaram o Canadá por 2 jogos a 0 neste domingo e se sagraram campeões da primeira edição da nova versão da Davis. O número 1 do mundo venceu a partida decisiva ao superar Denis Shapovalov por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/6 (9/7).

Na Caja Magica, na capital espanhola, Nadal mostrou mais uma vez por que é considerado um dos maiores da história. Sob os olhares do rei Filipe VI, da Espanha, nas tribunas, o líder do ranking encerrou sua participação na competição com oito vitórias em oito jogos nesta edição.

No total, ele soma 31 vitórias e nenhuma derrota desde 2006 na Davis. Antes disso, entre 2004 e 2005, foram seis triunfos e cinco revezes. Em todo este período, Nadal ajudou a equipe espanhola a conquistar cinco dos seus seis títulos na tradicional competição, que foi remodelada neste ano. O Grupo Mundial foi substituído pelas Finais, concentradas totalmente em uma semana, no mesmo local, com 18 equipes brigando pelo título em Madri.

A Espanha soube aproveitar o apoio maciço da torcida para levantar o troféu. Neste domingo, não deu chances ao time canadense, que disputava sua primeira decisão. No início do dia, Roberto Bautista Agut deixou os anfitriões em vantagem ao derrotar Félix Auger-Aliassime por 2 a 0, com parciais de 7/6 (7/3) e 6/3. O tenista da casa se emocionou ao comemorar a vitória, três dias após a morte do seu pai.

Em seguida, Nadal entrou em quadra para tentar confirmar o título sem a necessidade do terceiro jogo. E não decepcionou. O número 1 do mundo faturou a única quebra de saque do jogo, ainda no set inicial, quando abriu 4/2 no placar e encaminhou a vitória na parcial.

No segundo set, sem quebras, Nadal e Shapovalov fizeram um duelo muito equilibrado, definido apenas no tie-break. O tenista da casa chegou a desperdiçar um match point antes de garantir a vitória e o título para os espanhóis.

Para Nadal, o triunfo teve sabor especial. Aos 33 anos, ele termina o ano como número 1 do mundo, campeão da Davis e dono de dois títulos de Grand Slam na temporada: o seu 12º em Roland Garros e o quarto no US Open.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCopa DavisRafael Nadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.