Nadal diz que não sabe quando poderá voltar ao tênis

Rafael Nadal afirmou não ter uma previsão de quando poderá voltar a entrar em quadra novamente. O espanhol não joga desde que perdeu em junho, na segunda rodada de Wimbledon, para Lukas Rosol, e ainda se recupera de uma lesão no joelho esquerdo. Ele avisou que só vai atuar novamente quando estiver 100%.

AE-AP, Agência Estado

25 de setembro de 2012 | 11h57

Em entrevistas concedidas a jornais europeus e publicadas nesta terça-feira, o dono de 11 títulos dos torneios do Grand Slam disse que não tem certeza de quanto tempo ele ainda vai ficar afastado e se terá condições de disputar o Aberto da Austrália em janeiro.

"Tudo o que está na minha mente é continuar trabalhando duro para voltar", disse Nadal. "Eu não posso pensar sobre o futuro, porque não é como se você quebra seu braço, sabe que vai ter algumas semanas como estas e depois você está de volta" explicou. "Isso é uma coisa do dia-a-dia. Eu checo a cada dia para ver como eu estou melhorando. Eu não posso prever o que vai acontecer".

Nadal pode ficar fora do ATP Finals, marcado para o período entre 5 e 12 de novembro em Londres, e da final da Copa Davis entre Espanha e República Checa, entre 16 e 18 de novembro. "Eu espero que vocês me vejam na Austrália. Esse é o maior objetivo para mim, voltar um pouco antes no Catar, mais eu não posso dizer com certeza o que vai acontecer", afirmou. "A única coisa é me recuperar bem. Eu quero estar 100% quando eu voltar".

Nadal revelou ter usado anti-inflamatórios para jogar em Roland Garros e conquistar o título do Grand Slam francês pela sétima vez. Ele também tomou injeções analgésicas em Wimbledon.

O espanhol disse que ficou particularmente decepcionado por não participar da Olimpíada de Londres, onde estava programado para carregar a bandeira espanhola na cerimônia de abertura."Eu estive muito, muito triste por três semanas", afirmou. "Isso só acontece a cada quatro anos. Ficar fora do US Open foi difícil, mas você acha que vai ter mais chances".

Nadal elogiou Andy Murray, que venceu o US Open para conquistar o seu primeiro título do Grand Slam, após perder suas quatro decisões anteriores nesse tipo de torneio. "Ele merece mais do que ninguém", disse. "Estou muito feliz por ele".

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRafael Nadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.