Nadal espanta zebra e vai à final contra Nalbandian

Rafael Nadal voltou a sofrer em quadra no Brasil Open. Depois de uma batalha contra o argentino Carlos Berlocq no dia anterior, o tenista espanhol teve dificuldade para superar neste sábado o também argentino Martin Alund, sensação do torneio, e confirmar o seu lugar na final do ATP 250 disputado em São Paulo. Dessa vez, a vitória foi por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 6/7 (2/7) e 6/1.

FELIPE ROSA MENDES, Agência Estado

16 de fevereiro de 2013 | 20h21

Como havia previsto na sexta-feira, após bater Berlocq, Nadal precisou sofrer para faturar mais uma vitória na competição. Na semifinal deste sábado, ele fez um bom primeiro set, mas caiu de rendimento durante o segundo e cometeu muitos erros no tie-break. Acabou perdendo a parcial para o número 111 do mundo. Contudo, se recuperou na sequência e fechou o jogo após 1 hora e 56 minutos.

Alund era a grande zebra do Brasil Open, por ter saído do qualificatório como "lucky loser". Ele só entrou na chave principal por causa da desistência do compatriota Leonardo Mayer. E, na condição de azarão, obteve sua primeira vitória em um torneio da ATP, ao aposentar o brasileiro Ricardo Melo. Depois eliminou o favorito francês Jeremy Chardy e, com um bom tênis, chegou à semifinal. Parou somente diante da grande estrela da competição que acontece no Ginásio do Ibirapuera.

Enquanto Alund comemora seu grande resultado no Brasil Open, Nadal se prepara para a sua segunda final em solo brasileiro. Em 2005, ele faturou o título do torneio quando ainda era disputado na Costa do Sauipe (BA). Desta vez, terá pela frente o argentino David Nalbandian, ex-número 3 do mundo - ocupa atualmente a 93ª colocação no ranking -, em um duelo muito aguardado pela torcida.

A final deste domingo será o sétimo confronto entre os dois tenistas no circuito da ATP. Número 5 do mundo, Nadal lidera o retrospecto diante do argentino com quatro vitórias e duas derrotas, ambas sofridas ainda em 2007 - depois disso, foram só triunfos do espanhol.

Curiosamente, a final deste domingo vai reunir dois tenistas que passaram os últimos meses afastados das competições. Nadal estava fora do circuito desde a queda precoce em Wimbledon, em junho do ano passado. Só voltou na semana passada, no Torneio de Viña del Mar, no Chile. Nalbandian, por sua vez, não competia há cinco meses, também por lesão. E está fazendo seu retorno em São Paulo.

Neste domingo, Nadal espera superar a decepção do vice-campeonato tanto em simples quanto em duplas no torneio da semana anterior no Chile. Ele não levanta um troféu desde o heptacampeonato conquistado em Roland Garros, em junho do ano passado. A decisão do Brasil Open está marcada para começar às 13 horas, no mesmo Ginásio do Ibirapuera - não há mais ingressos disponíveis.

O JOGO - Mais regular do que nas partidas anteriores, Nadal jogou melhor neste sábado e, salvo dois break points que precisou defender no início, dominou o rival e venceu o primeiro set sem maiores dificuldades. A vantagem surgiu com uma quebra de saque no oitavo game.

O segundo set começou equilibrado, mas com um Nadal um pouco mais confiante em quadra. Apostando no saque, o espanhol era ligeiramente melhor e tinha facilidade para confirmar seu saque. Alund mantinha o confronto equilibrado, com eficientes golpes de direita, apesar de demonstrar certo cansaço. Ele disputava sua sétima partida seguida nesta semana, por ter passado pelo qualificatório.

O duelo acabou decidido no tie-break. Nadal voltou a jogar mal e cometeu erros em série, incluindo uma dupla falta. Alund aproveitou sua chance. Venceu o set e empatou a partida. Depois do susto, o espanhol "acordou" e começou a terceira parcial em ritmo fulminante. Quebrou o saque do argentino no início e abriu 3/0.

Embalado, Nadal cresceu na partida. Mostrou maior confiança e até protagonizou bons momentos. Alund teve dificuldade para acompanhar o ritmo do rival e acabou sofrendo nova quebra. O espanhol, então, sacou para o jogo e confirmou o favoritismo ao fechar o terceiro set em 6/1, com um voleio na rede.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil OpenNadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.