Andrew Couldridge / Reuters
Andrew Couldridge / Reuters

Nadal explica domínio dividido entre Federer, Djokovic e ele: 'Somos especiais'

Além dos três, apenas Andy Murray chegou a liderar o ranking da ATP depois de fevereiro de 2004

Estadão Conteúdo

25 de julho de 2018 | 12h22

Atual tenista número 1 do mundo, o espanhol Rafael Nadal analisou o domínio da modalidade dividido entre Roger Federer, Novak Djokovic e ele, visto no circuito profissional nos últimos anos. Desde fevereiro de 2004 que um dos integrantes da trinca lidera o ranking da ATP, com exceção do período em que o britânico Andy Murray esteve no topo, entre novembro de 2016 e agosto de 2017.

+ Após tetra em Wimbledon, Djokovic sobe 11 posições e volta ao Top 10 da ATP

"Isso pode ser explicado de duas formas. Nós três somos especiais ou quem esteve abaixo da gente não é especial. Estamos no topo há muitos anos, ainda que isso tenha acontecido por causa de circunstâncias excepcionais. Praticamente, não houve caso parecido na história", comentou o espanhol, nesta quarta-feira, em entrevista coletiva de imprensa, em Manacor, na Espanha.

Sobre a atual temporada, Rafael Nadal não acredita que esteja acima dos dois rivais, apesar de liderar o ranking mundial neste momento e ter acumulado mais semanas no topo em 2018. "Federer ganhou o Grand Slam na Austrália, Djokovic ganhou em Wimbledon e eu ganhei em Ronald Garros. Todos estamos em alto nível, apesar de dizerem, há alguns meses, que Djokovic era um desastre, o que eu não acreditava. É o que torna esse esporte imprevisível", afirmou o espanhol.

Ausente no segundo semestre de 2017 por causa de cirurgia no cotovelo, o tenista sérvio foi irregular nos primeiros seis meses de 2018, período em que alternou entre posições próximas ao Top 20, mas se recuperou na temporada de torneios na grama. Novak Djokovic foi vice-campeão em Queen's e venceu Rafael Nadal na semifinal de Wimbledon antes de conquistar o título do Grand Slam.

Aos 32 anos, Rafael Nadal afirmou que o objetivo atual dele na carreira é "desfrutar ao máximo". "A essa altura, ser vencedor ainda é a essência do esporte, mas competir bem é o que me deixa realmente feliz", afirmou o espanhol, que nesta quarta-feira apresentou o torneio de nível challenger Tour Rafa Nadal, que vai acontecer entre 25 de agosto e 2 de setembro, em Manacor, cidade natal do atleta, em Palma de Maiorca.

"Todos nós profissionais já passamos por um challenger e competir em um torneio desse é importante para todos os tenistas", afirmou o número 1 do mundo, que vai sediar a competição no complexo esportivo dele na cidade, o Rafa Nadal Academy.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.