Nadal lamenta contusão de adversário, mas se diz 'feliz'

Número 2 do mundo aproveita desistência de Paul-Henri Mathieu para descansar visando as quartas-de-final

20 de janeiro de 2008 | 14h44

O espanhol Rafael Nadal se disse feliz por passar às quartas-de-final do Aberto da Austrália, mas revelou que teria preferido que sua partida contra o francês Paul-Henri Mathieu, que abandonou o jogo no segundo set por dores musculares, tivesse ido até o fim. "Lamento que ele tenha sido obrigado a se retirar, porque sei por experiência própria o que é sentir uma lesão e não poder dar cem por cento", disse Nadal. O espanhol, no entanto, se disse satisfeito com seu rendimento na partida deste domingo, na qual afirmou finalmente ter conseguido render tudo o que desejava. "Hoje finalmente consegui jogar muito bem, botando a bola onde queria, quase sem pensar. Estar nas quartas-de-final sem ter perdido nenhum set é muito importante, e por isso estou muito feliz", afirmou. "No final do ano já me sentia muito bem, e depois fiz uma pré-temporada muito dura. Não sei se meu jogo foi perfeito hoje, mas com certeza foi pelo menos muito bom. Vinha me faltando um pouquinho de confiança, mas agora já conquistei", disse. Sobre seu próximo rival, o finlandês Jarkko Nieminen, Nadal que disse que será um rival difícil de bater. "Será muito difícil, porque sei que vai resistir o quanto for necessário, até seis horas se for preciso. Tenho que entrar em quadra muito calmo, porque é um adversário de alto nível", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Aberto da AustráliaRafael Nadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.