Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Lukas Coch/EFE
Lukas Coch/EFE

Nadal se diz 'muito pessimista' sobre volta do Circuito Mundial de Tênis à normalidade

Espanhol pondera que organização dos torneios envolve muitas pessoas, que ficariam expostas ao coronavírus

Redação, Estadão Conteúdo

26 de abril de 2020 | 17h40

Atual nº2 do ranking da ATP, o tenista espanhol Rafael Nadal afirmou neste domingo estar 'muito pessimista' sobre uma volta à normalidade do Circuito Mundial de Tênis à normalidade, após a paralisação por conta da pandemia do coronavírus. Nadal participou de uma live da Real Federação Espanhola de Tênis (RFET).

"Do meu ponto de vista, estou muito pessimista que o circuito possa voltar à atividade normal. No tênis, você precisa viajar toda semana, ficar em hotéis, ir para diversos países. Mesmo se jogarmos sem torcida, para organizar qualquer evento você precisa de muitas pessoas envolvidas, o que não pode ser ignorado. Em nível internacional, vejo um problema sério", explicou Nadal sobre a descrença.

A live foi feita com Feliciano Lopez, que também é diretor do torneio de Madri, Marcel Granollers, Roberto Bautista Agut, Pablo Carreño Busta, médico da federação e seu médico pessoal, Angel Cotorro (que ficou 17 dias internado por coronavírus) e o diretor de comunicação da RFET, Júlio Nieto.

Nadal também lamentou pelas vidas e empregos perdidos. "Nós tivemos um mês e meio muito difícil, com muitas perdas irreparáveis, enquanto outras coisas menos importantes que ainda trarão grande sofrimento para a sociedade. Eu espero apenas que por alguns meses, em nível econômico. Muitas pessoas vão perder os empregos", comentou.

Nadal tem ajudado os afetados pela pandemia doando alguns de seus itens pessoais para leilões beneficentes. Além disso, também apoiou a proposta de Novak Djokovic de criar um fundo de doações para que o top-100 do mundo ajude os tenistas que estão passando por dificuldades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.