Nadal vai à semifinal em Miami e ameaça Federer

Espanhol está perto de acumular pontos que o façam encostar no líder do ranking, se chegar à decisão

Chiquinho Leite Moreira, Especial para O Estado de S. Paulo

04 de abril de 2008 | 16h20

No pior início de temporada desde que assumiu a liderança do ranking mundial em fevereiro de 2004, Roger Federer já não está mais tão tranqüilo na liderança do ranking como antes. Este ano, o tenista suíço ainda não ganhou um título sequer e um novo fracasso agora em Miami, ao perder para Andy Roddick, pode custar caro. Passou a sofrer ameaça do espanhol Rafael Nadal que venceu mais uma em Key Biscayne. Marcou 7/6 (6) e 6/2 no checo Tomas Berdych e classificou-se para as semifinais. Se mantiver o favoritismo e conquistar o título do Masters Series, o espanhol irá diminuir para 520 pontos a diferença com Federer e coloca pressão no número 1 do mundo ás vésperas da abertura da temporada européia de saibro. Nadal avança para ser o primeiro espanhol da história a ganhar o título do Masters Series de Miami. Com uma conquista como essa entraria muito mais aliviado para a temporada de saibro, em que tem mais de 3 mil pontos para defender (500 de cada título de Montecarlo e Roma, 350 de Barcelona, além de mil só de Roland Garros). Neste aspecto, Federer está um pouco mais tranqüilo. Precisa defender pouco mais de 2,6 mil pontos. Para não abrir a chance de Nadal transformar a ameaça num fato concreto, Roger Federer mudou de estratégia e irá iniciar sua temporada de saibro mais cedo este ano. Em duas semanas joga do ATP do Estoril, torneio de médio porte, mas que poderá dar o primeiro título da temporada para o suíço, justamente num tipo de superfície que não é sua especialidade. Além disso, aumentaria seu período de preparação para alcançar o sonho de levar pela primeira vez o troféu de Roland Garros. Este ano, Federer perdeu nas semifinais da Austrália, para Novak Djokovic; na primeira rodada de Dubai, para Andy Murray; e nas semifinais de Indian Wells, para Mardy Fish.. Nadal também não ganhou um título este ano ainda. Mas disputou um número maior de torneios e chegou a final de Chennai, logo no início da temporada. Depois foi as semifinais da Austrália (perdeu para Jô-Wielfried Tsonga), segunda rodada de Rotterdam (para Andreas Seppi), foi as quartas-de-final de Dubai (para Andy Roddick), semifinais de Indian Wells (para Djokovic).  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.