Nadal vê Dolgopolov em condições melhores para final

O espanhol Rafael Nadal fez o que todos esperavam e chegou à decisão do Rio Open. Mas a disputa da semifinal foi mais dura do que se imaginava, durou 2 horas e 46 minutos e só foi decidida num 12 a 10 no tie-break do terceiro set contra seu compatriota Pablo Andujar. Agora, para ser campeão do mais importante torneio de tênis da América do Sul, o número 1 do mundo precisará superar o ucraniano Alexandr Dolgopolov, 54.º do ranking, e o cansaço.

MARCIO DOLZAN, Agência Estado

23 de fevereiro de 2014 | 09h17

O Rio Open é o primeiro torneio que Nadal disputa desde a final do Aberto da Austrália, em 26 de janeiro. A condição física preocupa, e o jogador entrará em quadra para a decisão pouco mais de 18 horas após vencer Andujar pela semifinal.

"Eu espero estar bem. Creio que as condições de jogo são melhores para ele, que é um jogador agressivo", comentou Nadal, logo após o jogo. O espanhol explicou a dor que sentiu na mão durante o terceiro set. "Foi uma cãibra, creio que por desidratação, mas acredito que não será problema (para a decisão)."

Já Pablo Andujar lamentou a derrota, mas se mostrou satisfeito pelo atuação. "Foi uma das melhores partidas da minha vida, quem sabe a melhor", afirmou. "Mas lamento ter tido dois match points e não ter aproveitado".

Questionado sobre por que não tinha conseguido a vitória mesmo que ele mesmo afirmasse ser aquela uma de suas melhores partidas da carreira, Andujar não titubeou na resposta. "É muito fácil de responder: esse jogo era contra Rafa Nadal", resumiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.