Nadal vence duelo de gerações no Canadá

Num duelo de gerações, o jovem Rafael Nadal, de 19 anos, levou a melhor sobre o já veterano Andre Agassi, de 35, e com uma vitória emocionante por 2 sets a 1 - parciais de 6/3, 4/6 e 6/2 -, o tenista espanhol conquistou o Masters Series de Montreal. Este foi o 9º troféu do ano, mas muito importante por ser o primeiro em quadras de cimento - todos os outros foram no saibro. É também o terceiro Masters Series na coleção de Nadal. O jogo de 1 hora e 54 minutos - com uma interrupção no meio do segundo set por causa da chuva - mostrou toda a força do espanhol, que correu de forma impressionante, alcançando bolas incríveis em pontos muito exigidos por Agassi e que, em certo momento, mereceu até aplausos de pé da torcida canadense. Esta semana já começa o Masters Series de Cincinnati, o último grande preparatório para o US Open. Estarão de volta às quadras dois dos maiores astros do tênis, Roger Federer, que estréia diante de James Blake, e Marat Safin - retornando de uma cirurgia no joelho -, que vai enfrentar um tenista saído do qualifying. Ricardo Mello será o único brasileiro nesta competição e vai estrear nesta segunda-feira diante do croata Mario Ancic, por volta das 19h de Brasília. Os dois já se enfrentaram por cinco vezes, com quatro vitórias do brasileiro, mas desta vez, em uma quadra rápida, o croata é o grande favorito. Herança para Sharapova - Mesmo sem jogar, a russa Maria Sharapova irá aparecer no ranking da próxima semana, dia 22, como a líder do ranking mundial. Irá herdar a posição da norte-americana Lindsay Davenport, que por causa de uma lesão não poderá defender os pontos no torneio de Toronto. Sharapova será a primeira tenista russa a liderar o ranking feminino e vai chegar ao US Open como a cabeça-de-chave número 1. Curiosamente, a beldade russa também não deve jogar em Toronto. Deverá se poupar, pois semana passada sentiu uma contusão em seu jogo das oitavas-de-final em Los Angeles e perdeu para a checa Daniela Hantuchova. Se tivesse vencido esta partida, teria conquistado na quadra os pontos necessários para ser número 1. "Se fosse um Grand Slam, teria jogado mesmo com dores para acumular pontos suficientes para ser a número 1", disse Sharapova. "Mas preferi me poupar. Mesmo assim, é lógico que estou feliz em assumir a liderança. Afinal, o computador não mente e fiz por merecer esta posição". Em Gramado, no Rio Grande do Sul, Flávio Saretta ganhou o seu primeiro título do ano ao vencer o torneio challenger derrotando na final o sueco Jacob Adaktusson, por 6/1 e 6/3. Emocionado, Saretta dedicou a conquista a seu filho, Felipe, de apenas 11 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.