Nalbandian comemora escolha de Córdoba para final da Davis

Quadra de Córdoba é coberta e de carpete, especialidade de Nalbandian e ponto fraco do espanhol Nadal

EFE

30 de setembro de 2008 | 16h39

O tenista argentino David Nalbandian se disse nesta terça "muito feliz" com a escolha de Córdoba, sua cidade natal, como sede da final da Copa Davis, contra a Espanha.Veja também;Argentina define Córdoba como sede da final da Copa Davis"Fiz tanto esforço para isso que estou esgotado. Mas estou feliz pela cidade e porque ela tem a melhor estrutura", disse o tenista ao jornal de Córdoba La Voz Del Interior. Na segunda, Nalbandian participou da reunião na federação argentina de tênis que definiu a sede da disputa.Também estiveram presentes à reunião o vice-presidente da federação, Arturo Grimaldi; o capitão da equipe argentina, Alberto Mancini; e o pai do tenista Juan Martín del Potro, além de representantes de outros jogadores.O estádio Orfeo de Córdoba foi proposto como primeira opção ao comitê da Copa Davis da Federação Internacional de Tênis (ITF, em inglês) e o Poliesportivo de Mar del Plata como segunda, enquanto o Luna Park de Buenos Aires, palco da série diante da Rússia, foi descartado.A escolha de Córdoba foi comunicada por Grimaldi ao Conselho da federação argentina de tênis, que a aprovou imediatamente. Segundo o vice da federação, o Orfeo "é o complexo mais moderno do país para shows e esportes, cuja capacidade seria ampliada para mais de 12 mil pessoas, com excelente ar condicionado e a localização geográfica de Córdoba, a província de melhor conexão de transporte aéreo do país".Antes da partida da semifinal, entre Argentina e Rússia, Nalbandian tinha proposto a troca do piso de saibro por uma quadra de carpete coberta na final com o objetivo de evitar o melhor desempenho do espanhol Rafael Nadal, número um do mundo.O diretor do Orfeo, José López, disse que, com a escolha, "a federação argentina respetou a preferência dos jogadores pela cidade e pelo estádio". A série decisiva será disputada entre 21 e 23 de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.