Getty Images
Getty Images

Nas duplas mistas, Bruno Soares e parceira vencem em estreia na Austrália

Ao lado de Nicole Melichar, brasileiro precisa de menos de 1h para vencer Irina-Camelia Begu e Horia Tecau

Redação, Estadão Conteúdo

20 de janeiro de 2019 | 10h13

Bruno Soares, que faz parceria com a norte-americana Nicole Melichar, venceu partida de estreia nas duplas mistas do Aberto da Austrália, em Melbourne. Neste do domingo, o conjunto superou os romenos Irina-Camelia Begu e Horia Tecau por 2 sets a 0, parciais de 6/1 e 6/3.

O duelo durou apenas 50 minutos e foi dominado pelo brasileiro e pela norte-americana. Soares começou com o pé direito a campanha pelo segundo título dele em duplas mistas no Grand Slam australiano, uma vez que venceu a competição em 2016, em parceria com a russa Elena Vesnina.

Soares e Nicole, cabeças de chave número 2, vão enfrentar Marton Fucsovics e Timea Babos na segunda rodada, na segunda-feira. Neste domingo, a dupla de húngaros venceu a chinesa Shuai Zhang e o australiano John Peers por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 4/6 e 10/7.

Soares também compete pelo título de duplas masculinas, ao lado do britânico Jamie Murray, com quem o brasileiro venceu a edição de 2016 na Austrália. Nesta segunda-feira, o conjunto vai enfrentar o alemão Kevin Krawietz e o croata Nikola Mektic, pelas oitavas de final do torneio.

Se ganhar os dois títulos que disputa, tenista brasileiro pode sair de Melbourne com sete conquistas de Grand Slam. Além das duas vitórias na Austrália, Soares foi campeão três vezes do US Open, duas nas duplas mistas (com a indiana Sania Mirza, em 2014, e com a russa Ekaterina Makarova, em 2012) e uma nas duplas masculinas (com Murray, em 2016).

Na chave juvenil, Mateus Alves estreou com vitória no Aberto da Austrália, por 2 sets a 1, contra o japonês Hikaru Takeda, por 6/2 e 6/3 em apenas 56 minutos de partida. Aos 17 anos, o paulista é o 29º colocado no ranking mundial juvenil da Federação Internacional de Tênis (ITF).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.