Nastás espera que Guga mude de idéia

Longe de sequer pensar numa renúncia, o presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Nelson Nastás, ainda espera que Gustavo Kuerten possa reconsiderar sua decisão e defender o Brasil na Copa Davis, diante do Paraguai, de 9 a 11 de abril. "Acredito que o Guga vá refletir sobre o assunto", disse o dirigente nesta sexta-feira, depois de seis dias de silêncio em meio a uma das maiores crises do esporte. Para o presidente da CBT, os últimos acontecimentos, como a invasão da sede da entidade pela polícia, não passaram de "atitudes politiqueiras" e está confiante na possibilidade de manter o seu mandato até o final do ano."Não sei exatamente do que o Guga está reclamando", afirmou Nastás. "Estamos com uma equipe juvenil no circuito Cosat (sul-americano) e outras seis jogadoras na Europa em busca de pontos no ranking para que possam se qualificar para a Olimpíada. Tudo pago pela CBT. O meu erro é não saber fazer marketing, mas estamos trabalhando para a formação de novos jogadores." Nastás acredita que uma negociação com os jogadores possa convencê-los a disputar a Davis. No caso de Guga, ele já advertiu que não lhe passou pela cabeça deixar de indicá-lo para a Olimpíada de Atenas, mesmo porque a convocação deve seguir o ranking mundial. "Acho ainda que o Guga não vai jogar a Davis pela CBT, mas sim pelo Brasil", afirmou.Enquanto a situação não se resolve, Nastás está estudando a possibilidade de chamar um outro capitão para o time brasileiro, que teria a missão de formar uma equipe contra o Paraguai. Está afastada também a possibilidade de um WO - não comparecimento. As repercussões para um caso destes seriam drásticas: o Brasil estaria suspenso por um ano da Davis, além de receber multa para ressarcir as despesas do adversário.Com poucas chances de Guga, Flávio Saretta, André Sá e Ricardo Mello voltarem atrás, o novo técnico teria uma missão e tanto, colocando em quadra jogadores sem grande nível, apenas para o Brasil não sofrer as consequências do WO. Para este caso, os organizadores do evento já estariam procurando um clube em São Paulo para realizar o confronto, no lugar da Costa do Sauípe, descartada desde a ausência dos principais tenistas.Enquanto isso, o grupo de oposição, liderado por Jorge Lacerda Rosa, da Federação Catarinense, ainda tem esperanças de destituir o presidente da CBT, através de uma Assembléia Extraordinária. Nesta sexta-feira já teriam conseguido um número expressivo de votos para isso. Nastás, por sua vez, prefere relevar todos estas ações como um oportunismo político.Em Indian Wells, onde os principais tenistas brasileiros estão, Flávio Saretta só estréia neste sábado no Masters Series, diante do alemão Nicolas Kiefer. Guga vai enfrentar neste fim de semana o vencedor da partida entre o norte-americano Taylor Dent e o equatoriano Giovanni Lapenti.Os tenistas espanhóis em Indian Wells estão jogando com uma tarja preta no uniforme em respeito às vítimas dos atentados em Madri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.