Juan Medina/Reuters
Juan Medina/Reuters

No saibro, Djokovic bate Nadal e é campeão do Masters de Madri

Sérvio vence espanhol por 2 sets a 0 e segue sem perder em 2011: já são 34 vitórias seguidas

AE, Agência Estado

08 de maio de 2011 | 16h45

MADRI - O sérvio Novak Djokovic mostrou, neste domingo, que realmente é o melhor tenista do momento no circuito profissional da ATP. Na final do Masters 1000 de Madri, na Espanha, disputado em quadras de saibro, o atual número 2 do mundo ganhou simplesmente do melhor jogador neste tipo de piso e o primeiro colocado do ranking, que ainda jogava diante de sua torcida: Rafael Nadal. Djokovic venceu por 2 sets a 0 - com parciais de 7/5 e 6/4.

A vitória deste domingo significou várias marcas para o sérvio. A primeira delas é a manutenção de sua invencibilidade na temporada com a conquista de seu 32.º triunfo seguido - o 34.º se contar dois jogos pela final da Copa Davis, no final de 2010. Assim, ultrapassou o sueco Bjorn Borg e agora só está atrás do norte-americano John McEnroe, que venceu seus primeiros 42 jogos em 1984.

A segunda marca é acabar com uma longa série invicta de Rafael Nadal no saibro. Desde que foi derrotado pelo sueco Robin Soderling nas oitavas de final de Roland Garros, em 2009, o espanhol havia vencido 37 partidas consecutivas neste tipo de piso. Nesta temporada, Nadal já havia conquistado os títulos do Masters 1000 de Montecarlo e do Torneio de Barcelona.

Além de tudo isso, Djokovic conseguiu a sua primeira vitória sobre Nadal no saibro após 10 tentativas. "Inacreditável! Entrei na quadra hoje (domingo) achando que poderia vencer. Precisava ser agressivo e foi uma grande partida", afirmou o sérvio, logo após a conquista - que é a sua sexta na temporada depois de ganhar o Aberto da Austrália, os Masters 1000 de Indian Wells e Miami e os Torneios de Dubai e Belgrado.

Em quadra, foi possível perceber que Novak Djokovic está realmente em grande fase. Mesmo depois de vencer seus dois últimos jogos em extenuantes confrontos de três sets - contra o espanhol David Ferrer, nas quartas de final, e contra o brasileiro Thomaz Bellucci, nas semifinais -, o sérvio dominou completamente Nadal, não deixando o espanhol ser agressivo como gosta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.