Norman foi operado do quadril em 2001

Ex-líder da corrida dos campeões e vice-líder do ranking mundial, o sueco Magnus Norman - que fez a final de Roland Garros com Gustavo Kuerten em 2000 - viveu um drama ao passar por uma cirurgia de quadril - muito similar a de Guga - em agosto do ano passado. Um de seus médicoschegou a dizer que talvez não pudesse mais voltar a jogar tênis, mas seis meses depois da operação, Norman está de volta e feliz por poder novamente seguir no circuito da ATP. "Este é, certamente, um dos momentos mais felizes da minha vida", garantiu Norman, de 25 anos, que se mostrou animado mesmo com sua derrota na primeira rodada do ATP Tour de Buenos Aires para o argentino Juan Inagcio Chella, por 6/3 e 6/2. "Para mim não importa o resultado do jogo, mas sim o fato de estar fazendo o que mais gosto: jogar tênis." Com tanto tempo fora das quadras, Norman sabe que precisa ganhar ritmo, confiança e condições físicas para voltar a brigar pelas primeiras posições do ranking mundial. Hoje ocupa a 85.ª colocação, mas, sem dúvida, é um bom lugar para quem viveu dias tristes. "Tive de usar muletas por vários meses", contou. "Fiquei deprimido e precisei reaprender a andar novamente." Por tudo isso, Norman espera voltar a reencontrar-se com o seu melhor nível técnico dentro de alguns torneios mais. "Acredito que lá pelo Masters Series de Montecarlo ou mesmo Roma já possa estar bem e quem sabe brigar novamente pelo título de Roland Garros." Nestes dias em Buenos Aires, Norman disse ter conversado rapidamente com Guga, justamente sobre a lesão. Revelou que seu caso foi mais grave, a contusão no quadril estava num estágio mais avançado quando decidiu operar. "Falei rapidamente com Guga e espero que tenha muita sorte", contou. "Terá de ter muita paciência e determinação para superar a fase de recuperação, mas acho que vai se sentir muito feliz como eu em voltar depois ao circuito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.