Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

'Nós dois merecíamos a vitória, mas alguém tem que perder', diz Feijão

Tenista brasileiro lamenta ser derrotado após 6h42min de jogo

Estadão Conteúdo

09 Março 2015 | 10h21

João Souza, o "Feijão", foi derrotado por Leonardo Mayer no último domingo em Buenos Aires, mas foi aclamado como um verdadeiro campeão. Isso porque o brasileiro mostrou muita garra, além de um esforço físico e psicológico desumano, para atuar por 6h42min, no jogo mais longo de simples da história da Copa Davis. No fim, contudo, acabou caindo por 3 sets a 2, com parciais de 7/6 (7/4), 7/6 (7/5), 5/7, 5/7 e 15/13.

"Nós dois merecemos a vitória, na minha opinião, mas algum de nós tinha que perder a partida. Só quero dar parabéns a ele", declarou o brasileiro. "Só estou pensando agora na vitória do Brasil. É bastante triste para mim, foi duro. Dou os parabéns ao Leo por ter vencido. Quero agora voltar para a quadra e torcer para o Bellucci."

A derrota de Feijão deixou tudo igual, em 2 a 2, no confronto entre Brasil e Argentina pela primeira rodada do Grupo Mundial. Por conta do longo duelo, Thomaz Bellucci e Federico Delbonis puderam disputar somente o primeiro set da quinta e decisiva partida, vencido pelo argentino, antes que o restante do duelo fosse adiado para esta segunda por falta de luz natural.

Independente do resultado final, no entanto, esta série será sempre lembrada pela histórica batalha entre Feijão e Mayer. "Dei 300% de mim. Ele deu 300% também e acabou indo para o lado dele", sintetizou o brasileiro. "Estou com cãibra na panturrilha, na coxa, no adutor, no braço, no abdômen. Estou destruído. Esse jogo vai ficar marcado, sim, mas agora é descansar. A vida continua e só quero que o Brasil ganhe e eu possa comemorar."

Do lado vencedor, Mayer também exaltou o incrível duelo e não perdeu a chance de criticar a ATP. "Estou morto! Joguei quatro horas sentindo cãibras, não sei como aguentei. Isso acaba com o jogador, mas a ATP não leva isso em conta", disse, se referindo ao fato de não haver tie-break para definir o quinto set na Copa Davis, o que aumenta a duração das partidas.

Mais conteúdo sobre:
tênis Copa Davis João Souza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.