Matthew Stockman/AFP
Matthew Stockman/AFP

Novak Djokovic oscila, mas vence com 'pneu' em estreia no US Open

Sérvio supera o húngaro Marton Fucsovics pelo placar de 3 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6, 6/4 e 6/0

Estadão Conteúdo

28 Agosto 2018 | 19h00

Apesar do embalo pelo título no Masters 1000 de Cincinnati, o sérvio Novak Djokovic sofreu em sua estreia no US Open, nesta terça-feira. Em uma tarde de forte calor em Nova York, o ex-número 1 do mundo precisou de quatro sets para superar o húngaro Marton Fucsovics pelo placar de 3 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6, 6/4 e 6/0, em três horas de partida.

Djokovic chegou a estar perto de sofrer a segunda quebra de saque seguida no terceiro set, quando precisou suar em quadra para buscar não levar a virada no placar. As dificuldades surpreenderam os fãs porque o sérvio foi campeão em Cincinnati e Wimbledon, nas últimas semanas, totalizando 19 vitórias em seus últimos 21 jogos.

Na segunda rodada, o atual número seis do mundo vai enfrentar o norte-americano Tennys Sandgren, que também estreou nesta terça, ao derrotar outro sérvio, Viktor Troicki, por 6/3, 6/4 e 6/2. Na rodada seguinte, Djokovic poderá cruzar com o francês Richard Gasquet, que bateu na estreia o japonês Yuichi Sugita por 6/3, 6/1 e 6/3.

Nesta terça, Djokovic fez um bom começo de jogo ao aproveitar a única chance concedida pelo rival, 41º do ranking, para fechar o set inicial. Mas, na sequência, o sérvio passou a abusar dos erros e cedeu o empate. Mais confiante, Fucsovics obteve nova quebra no início do terceiro set e esteve perto de abrir duas quebras de vantagem.

Até que o sérvio "entrou" novamente na partida. Ele diminuiu as falhas (foram 32 erros não forçados em toda a partida, contra 40 do rival), e buscou a virada na parcial, ao mesmo tempo que o tenista da Hungria passava a abusar dos erros.

Djokovic, então, retomou a confiança e passou a adotar postura mais agressiva. A estratégia deu certo e o sérvio atropelou o rival no quarto set, sem ceder um game sequer.

A partida foi marcada por uma interrupção de dez minutos antes do início do quarto set. A paralisação se deveu à política de calor extremo da organização do US Open. Inicialmente, a política existia somente para a chave feminina, mas neste ano foi ampliada para o masculino em razão das condições adversas da competição.

As temperaturas tanto nesta terça quanto na segunda excederam os 33 graus, o que foi o gatilho para a interrupção provisória do jogo. Além disso, a alta umidade tem incomodado muito os jogadores. Somente nesta terça quatro jogadores da chave de simples desistiram de suas partidas.

O croata Marin Cilic foi um dos beneficiados por estes abandonos. Com inesperada dificuldade contra o romeno Marius Copil, o vice-campeão do Aberto da Austrália sofreu para vencer o set inicial por 7/5, após estar perdendo por 5/1. Depois venceu a segunda parcial por 6/1. E, no terceiro, quando estava 1/1, o romeno desistiu.

O próximo adversário de Cilic também avançou graças a um abandono. O polonês Hubert Hurkacz liderava o placar por 6/2, 2/6, 7/6 (8/6) e 3/0, quando o italiano Stefano Travaglia desistiu do confronto.

Também abandonaram nesta terça o argentino Leonardo Mayer e o lituano Ricardas Berankis, beneficiando o sérvio Laslo Djere e o sul-coreano Hyeon Chung, respectivamente.

ZVEREV AVANÇA COM TRANQUILIDADE  

Ainda em busca de uma boa atuação em um Grand Slam, o alemão Alexander Zverev venceu o canadense Peter Polansky por 3 sets a 0, com parciais de 6/2, 6/1 e 6/2. O próximo adversário do número quatro do mundo vai sair do duelo entre os franceses Nicolas Mahut e Corentin Moutet.

Ainda nesta terça, o argentino Diego Schwartzman (13º cabeça de chave) passou pelo compatriota Federico Delbonis por 6/2, 7/6 (8/6) e 6/2.

Avançaram também o alemão Jan-Lennard Struff, o português João Sousa, o espanhol Pablo Carreño-Busta, o australiano John Millman, o casaque Mikhail Kukushkin e o francês Julien Benneteau.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.