Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Pete Kiehart/The New York Times
Pete Kiehart/The New York Times

Osaka é multada em US$ 15 mil e será banida de Roland Garros se negar entrevistas

Tenista japonesa chegou à França dizendo que não aceitaria imposição para comparecer às coletivas com intuito de "proteger sua saúde mental"

Redação, Estadão Conteúdo

30 de maio de 2021 | 15h36

Naomi Osaka chegou à França para disputar Roland Garros falando que não aceitaria imposição da organização para comparecer às entrevistas coletivas com intuito de "proteger sua saúde mental". Cumpriu com a promessa após ganhar na estreia, neste domingo, mas recebeu um duro contragolpe dos organizadores. Além de ser multada em US$ 15 mil (aproximadamente R$ 78 mil), ainda foi notificada que pode ser desclassificada do Grand Slam de Paris se continuar não aparecendo na sala de imprensa.

"Naomi Osaka escolheu hoje (30/05) não cumprir suas obrigações contratuais com a imprensa. Roland Garros aplicou uma multa de 15 mil dólares a ela. Avisamos a Naomi Osaka que se continuar a rejeitar suas obrigações com a mídia durante o torneio, poderá sofrer sanções mais duras, incluindo a exclusão do torneio", divulgou comunicado a organização do evento disputado no saibro em Paris.

Os organizadores do evento ainda disseram que as infrações pelo código de conduta nas competições podem gerar infrações ainda mais graves. O desfalque no bolso é pouco para a tenista, que embolsou mais de US$ 55 milhões no circuito ano passado, mas a ausência em grandes competições pode fazê-la mudar rapidamente de opinião.

"Violações repetidas provocam punições mais duras, entre elas a exclusão de um torneio", seguiu a organização. "E até abertura de investigação que pode gerar penalidades mais importantes, como uma suspensão dos torneios Grand Slans."

Bicampeã do Aberto da Austrália e do US Open, Osaka não deve insistir na ideia de evitar a imprensa em Paris sob a ameaça de ser retirada dos mais importantes e rentáveis torneios da WTA.

Após estrear com vitória sobre a romena Patrícia Maria Tig, 63 do ranking, por 6/4 e 7/6 (4), ela se limitou a dar rápida entrevista para o ex-tenista Fabrice Santoro, que trabalha para o evento, ao dizer que "o trabalho está progredindo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.