Mark Brown/ AFP
Mark Brown/ AFP

Osaka estreia com vitória e aplausos em Miami após ofensa e choro em Indian Wells

'Não sei se posso dizer isso, mas finalmente comecei a conversar com uma terapeuta depois de Indian Wells', revela tenista japonesa

Redação, Estadão Conteúdo

23 de março de 2022 | 19h42

Há duas semanas, Naomi Osaka se despediu do Masters 1000 de Indian Wells com derrota na segunda rodada e choro após ter sido ofendida por um torcedor. Nesta quarta-feira, a japonesa estreou com fácil vitória no Masters 1000 de Miami, também nos Estados Unidos, e foi aplaudida pela torcida.

Dona de quatro títulos em Miami, Osaka se disse em casa em seu retorno ao torneio e confessou que buscou auxílio de uma terapeuta depois de ter sido insultada em Indian Wells assim que foi eliminada pela russa Veronika Kudermetova, pela segunda rodada. Ano passado, a ex-número 1 do mundo havia abandonado Roland Garros, na França, revelando que precisava se dedicar à saúde mental.

"Não sei se posso dizer isso, mas finalmente comecei a conversar com uma terapeuta depois de Indian Wells. Demorou apenas um ano depois do Aberto da França (Roland Garros). Ela disse sobre estratégias e outras coisas. Percebi como é útil."

Em quadra, Osaka foi soberana diante da australiana Astra Sharma, ganhando por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/4 em 1h22. A tenista estava tão concentrada que não cedeu um breakpoint no jogo e ganhou 41 de 49 saques para aplauso dos torcedores.

"Aqui é como uma partida em casa", disse uma aliviada Osaka após o jogo. "Simplesmente precisava mostrar que posso voltar aqui e competir. Independentemente de ter vencido ou perdido, tive a resposta perfeita que posso (jogar)."

Na segunda fase em Miami, Osaka terá uma ex-número 1 do ranking pela frente. Ela vai encarar a alemã Angelique Kerber, que também busca dar a volta por cima no circuito mundial de tênis, nesta quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.