Chang W. Lee/NYT
Chang W. Lee/NYT

Osaka pede desculpas aos torcedores após conquistar 1º Grand Slam da carreira

A vitória ainda teve um gosto especial para a jovem de 20 anos, que conseguiu bater seu principal ídolo

Estadão Conteúdo

08 Setembro 2018 | 21h04

Naomi Osaka se tornou neste sábado a primeira japonesa a vencer o US Open ao derrotar a norte-americana Serena Williams por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/4. A vitória ainda teve um gosto especial para a jovem de 20 anos, que conseguiu bater seu principal ídolo.

No entanto, em vez de comemorar o feito inédito e histórico para seu país, a tenista se desculpou. A partida foi carregada de tensão especialmente no segundo set e ficou marcada pela discussão de Serena com o árbitro da partida. Por conta das fortes reclamações, a norte-americana perdeu um game no segundo set e facilitou o trabalho de Osaka.

As duas tenistas choraram ao término da partida e a norte-americana abraçou a japonesa. Visivelmente constrangida no palco montado para a premiação, Osaka mal sorriu durante a cerimônia, agradeceu a multidão por assistir à partida e pediu desculpas. "Eu sei que todo mundo estava torcendo por ela, e eu sinto muito ter que terminar assim", disse.

Serena, de 36 anos, disputou sua 31ª final de Grand Slam, a nona somente em Nova York, e buscava a sétima taça do US Open. A tenista japonesa levantou pela segunda vez uma troféu do circuito. Em março, ela faturou o Torneio de Indian Wells.

Embalada por essa primeira conquista, dois dias depois, Osaka bateu Serena em Miami, no único encontrou até então entre as tenistas. A japonesa ocupa atualmente a 19ª colocação no ranking, mas deverá aparecer em sétimo lugar após a atualização na segunda-feira. Serena, ex-número 1, avançará do 26º para o 16º lugar.

O título do Grand Slam é mais um passo que Osaka dá em direção à Serena. Atualmente, ela tem como técnico Sascha Bajin, que ganhou fama no circuito ao ser rebatedor da norte-americana por oito anos. Com Osaka, ele realiza seu primeiro trabalho como técnico principal, desde o fim do ano passado.

Osaka nasceu no Japão, na cidade que carrega no sobrenome, mas foi morar nos Estados Unidos aos três anos de idade. Ela tem dupla nacionalidade, porém se sente mais à vontade falando inglês do que japonês.

Assim como Serena, Naomi tem uma irmã no circuito profissional, Mari Osaka, 367ª do ranking. Na infância, as duas eram constantemente comparadas às irmãs Williams. Não por caso. O pai das japonesas, Leonard François, se inspirou no pai de Serena e Venus, Richard Williams, para tornar suas duas filhas tenistas profissionais. Para Osaka, agora, 'só' faltam mais 22º títulos de Grand Slam para igualar Serena.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.