Zorana Jevtic/Reuters
Zorana Jevtic/Reuters

Pai diz que Djokovic está sendo 'pisoteado e crucificado' na Austrália

Conhecido pelas declarações polêmicas, Srdjan afirma também que situação do filho é uma agressão ao povo sérvio

Redação, Estadão Conteúdo

06 de janeiro de 2022 | 16h12

A família de Novak Djokovic elevou o tom das críticas ao governo australiano nesta quinta-feira. Conhecido pelas declarações polêmicas, o pai do tenista sérvio, Srdjan Djokovic, disse que o número 1 do mundo está sendo "pisoteado" e "crucificado" e que a situação é também uma agressão ao povo sérvio.

"Novak é a Sérvia e a Sérvia é Novak. Estão pisoteando Novak e, ao mesmo tempo, pisoteando na Sérvia e no povo sérvio", declarou Srdjan. "Eles crucificaram Jesus e agora estão tentando crucificar Novak da mesma forma, forçando ele a ficar de joelhos. Eles levaram todas as suas coisas e sua carteira. Ele é um prisioneiro."

Djokovic desembarcou na Austrália na quarta-feira para disputar o Aberto da Austrália, a partir do dia 17. Mas foi barrado no aeroporto por conta de falta de informações em seu visto. Reconhecido por ser contra a vacinação contra a covid-19, o tenista pediu e obteve uma "permissão médica especial" para poder entrar e competir no país, mesmo sem apresentar comprovante de vacinação completa.

Mas, ao desembarcar em Melbourne, não conseguiu comprovar a necessidade da permissão especial, que atende pessoas que não tomaram o imunizante para não piorar um quadro clínico grave causado por outra doença ou porque apresentaram reação grave na primeira dose ou ainda porque tiveram covid-19 nos últimos seis meses.

Barrado, o número 1 do mundo passou a madrugada de quinta no aeroporto, até ser deslocado a um hotel especial, reservado a refugiados. Ele permanecerá no local até ter seu caso analisado por um juiz federal, na segunda-feira.

Insatisfeitos com a situação, os familiares de Djokovic vieram a público nesta quinta para criticar o tratamento que o filho está recebendo na Austrália. Enveredando por questões políticas, o pai do tenista diz que o líder do ranking foi barrado por ser sérvio e criticou o "ocidente", em referência ao bombardeio feito pela OTAN na Sérvia, em 1999, no contexto do conflito contra a província de Kosovo, que buscava sua independência.

Para os familiares, Djokovic está sendo tratado como um criminoso. "Meu irmão não é um criminoso, é um atleta. Ele não violou nenhum protocolo, tinha documentação igual aos tenistas que entraram no país. Quando chegou à Austrália sofreu um grande ataque diplomático", disse o irmão do tenista, Djordje.

"Ele foi interrogado por funcionários oficiais da área da fronteira. Durante os primeiros 45 minutos, pôde se comunicar com a família e, em seguida, seu telefone foi retirado e não pudemos entrar em contato com ele por três horas e meia. E aí tomaram a decisão de tirar seu visto e de que não poderia defender o seu título e estabelecer um recorde."

Atual campeão do Aberto da Austrália, Djokovic tinha por objetivo alcançar o seu 21º título de Grand Slam da carreira, o que seria um novo recorde na história do tênis. Atualmente o sérvio divide essa marca com o suíço Roger Federer e com o espanhol Rafael Nadal, ambos também donos de 20 troféus de Slam.

De acordo com o irmão de Djokovic, o tenista corre o risco de ser banido do torneio pelos próximos três anos. "A última notícia que temos é que o tribunal ordenou às autoridades que não o deportassem até segunda-feira. Imediatamente depois, ele descobriu que eles não permitiriam que ele entrasse na Austrália nos próximos três anos."

A mãe do tenista, Dijana Djokovic, reclamou do hotel onde o tenista está hospedado desde o início desta quinta. "Ele está preso, isso não é justo, não é humano. A acomodação é horrível. É um pequeno hotel para refugiados, com percevejos. É sujo, a comida é péssima e não dão a oportunidade de se mudar para uma casa que já está alugada", criticou.

Desde que foi transferido para o The Park Hotel, no subúrbio de Melbourne, Djokovic atraiu um pequeno protesto nas redondezas. Sérvios e fãs apareceram diante do hotel, portando bandeiras e velas, em sinal de vigília pelo tenista.

O hotel é considerado de bom nível, com 107 quartos, todos com ar-condicionado. E aparece na 105ª posição entre 170 hospedagens em Melbourne listadas pelo site Tripadvisor, referência na área de turismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.