Marcos de Paula/ Estado
Marcos de Paula/ Estado

Para fugir do calor, Rio Open 2016 terá mudança no horário

Torneio masculino também terá redução no valor da premiação

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

01 de dezembro de 2015 | 14h21

Principal torneio de tênis da América do Sul, o Rio Open teve sua edição 2016 lançada oficialmente nesta terça-feira no Jockey Club Brasileiro, na zona sul do Rio de Janeiro. Em comparação à competição disputada em fevereiro deste ano, a versão 2016 do Rio Open terá redução na premiação no masculino, que tem nível ATP 500. Os valores caíram de US$ 1,5 milhão para US$ 1,3 milhão. No feminino, com nível WTA International, a premiação foi mantida em US$ 250 mil.

Outra mudança em 2016, quando o torneio será realizado entre 15 e 21 de fevereiro, acontecerá no horário dos jogos. Atendendo à solicitação dos próprios tenistas, a primeira sessão de jogos iniciará mais tarde em comparação aos dois primeiros anos.

Além dos patrocinadores privados, a edição 2016 contará também com recursos do governo do Estado, através de lei de incentivo fiscal de aproximadamente R$ 10 milhões. Presente ao lançamento do torneio, o secretário estadual de Esporte, Marco Antônio Cabral, defendeu a medida. "É correta porque (o torneio) tem um valor não só para o esporte, mas também para o turismo e para a indústria do esporte no Estado como um todo", declarou.

A principal novidade da próxima edição está no horário dos jogos. A primeira rodada de partidas iniciará às 14h15, numa tentativa de fugir do calor escaldante do fim da manhã, principal reclamação dos atletas - e do público - nos dois primeiros anos. De segunda a quinta-feira serão duas sessões de disputa, à tarde e à noite. Já na sexta e no sábado os jogos serão em sessão única. As finais, no domingo, iniciarão às 15h30. O evento será transmitido para 180 países.

Rafael Nadal, vencedor da primeira edição (2014), e David Ferrer, atual campeão, já confirmaram presença. Os brasileiros Thomaz Bellucci, João Souza, o Feijão, Teliana Pereira e Bia Haddad Maia também estarão na disputa.

"É um evento que sempre tem melhorado, e ano que vem talvez seja a edição mais forte, porque teremos quatro atletas que estão entre os 15 melhores do ano. Vai ser difícil para eu sair com o caneco, mas vou estar jogando em casa, com o apoio da torcida, e isso será uma vantagem", destacou Bellucci.

Uma das surpresas da edição 2015 - quando chegou a ter três match points nas quartas de final contra aquela que viria a ser a campeã do torneio, Sara Errani -, Bia Maia está animada. "A expectativa é de fazer meu jogo, game a game, e conseguir me impor", disse. Bia, que se recupera de uma cirurgia no ombro, se mudou recentemente de Balneário Camboriú para treinar no Rio de Janeiro. "Já estou me ambientando ao clima da cidade e isso vai ajudar", comentou.

Assim como na última edição, o Rio Open será disputado em nove quadras de saibro, sendo que a principal delas terá capacidade para 6.200 pessoas. Na edição deste ano, 55 mil pessoas estiveram na competição. Os ingressos variam de R$ 30 a R$ 640. A partir do dia 11, a venda será aberta ao público em geral.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRio Openhoráriomudançacalor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.