Para Hewitt, vitória marcou sua carreira

Numa jornada memorável, em Melbourne, Lleyton Hewitt saiu de uma desvantagem de dois sets, neste domingo, para derrotar o campeão de Wimbledon, Roger Federer, da Suíça, e colocar seu país na final da Copa Davis de 2003. Ex-número 1 do mundo, Hewitt definiu esta como sua vitória mais importante ao marcar 5/7, 2/6, 7/6 (7-4), 7/5, 6-1 e garantir a vaga na decisão do título.A conhecida "saladeira", o troféu da Copa Davis, será decidida de 28 a 30 de novembro em Melbourne, com os australianos recebendo a Espanha, que teve como herói Carlos Moya. Afinal, foi ele quem marcou o ponto de classificação dos espanhóis no confronto com a Argentina. Depois de Juan Carlos Ferrero ser surpreendido por Agustin Calleri (6/4, 7/5 e 6/1), Moya superou Gaston Gaudio por 6/4, 7/5 e 6/1 e colocou pela quarta vez seu país na final da mais emocionante competição do tênis mundial.A Austrália, com a vantagem de jogar em casa, espera agora vingar-se da derrota sofrida em 2000, quando teve de jogar no saibro diante dos espanhóis e perdeu por 3 a 1. Agora, muito provavelmente irão montar uma quadra de grama para confirmar o favoritismo de quem joga em casa. "Todo mundo sabe minha emoção de jogar um Davis", disse Hewitt. "Vencer esta partida com o Federer, depois de uma desvantagem de dois sets e colocar meu país na final é um sentimento incrível. Acho até mais importante para mim do que qualquer outra conquista no tênis."Repescagem - Em outros confrontos do playoff, os Estados Unidos conseguiram sair de uma situação difícil diante da República Eslováquia. Andy Roddick, que havia perdido seu jogo no primeiro dia para Dominik Hrbaty, derrotou neste domingo Karol Beck, por 6/3, 6/4 e 6/4, e marcou o ponto da permanência norte-americana no Grupo Mundial. Depois Mardy Fish venceu Michael Martinek por 6/3, 6/3 e 6/4, em jogo que já não valia mais nada.Dos resultados mais inesperados foi o do rebaixamento da Alemanha, que mesmo jogando em casa foi para a segunda divisão. No jogo decisivo, Max Mirnyi mostrou toda a força de seu saque para destruir a regularidade do número 1 alemão Rainer Schuettler, que perdeu por 6/3, 7/5 e 6/3.Em outros confrontos, a Holanda venceu a Índia por 5 a 0; a República Checa perdeu apenas um jogo diante da Tailândia de Paradorn Srichaphan, antes de marcar 4 a 1 e manter-se no Grupo Mundial. No jogo decisivo, Jiri Novak acabou com as esperanças dos tailandeses ao vencer o ídolo local, Srichaphan por 6/4, 6/4 e 6/4. Enquanto isso, o emocionante e equilibrado confronto entre Marrocos e Inglaterra ficou para ser decidido neste segunda feira. Na quinta partida da série entre Younes El Aynaoui e Greg Rusedski faltou luz natural e a partida teve de ser interrompida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.