Luca Piergiovanni/EFE
Luca Piergiovanni/EFE

Piqué revela que Messi é um dos sócios da Kosmos e integra projeto da nova Davis

Fundo de investimentos foi fundado e é presidido pelo defensor espanhol do Barcelona

Redação, Estadão Conteúdo

15 de fevereiro de 2019 | 11h58

Um dos melhores jogadores de futebol do mundo, o argentino Lionel Messi está agora se aventurando no tênis. O zagueiro Gerard Piqué, do Barcelona, revelou que o seu companheiro de equipe é um dos sócios do Grupo Kosmos, um fundo de investimentos fundado e presidido pelo defensor espanhol, e um dos investidores do projeto da nova Copa Davis, que teve o sorteio dos grupos da fase final - que será disputada de 18 a 24 de novembro, em Madri -, realizado na última quinta-feira.

No ano passado, a Kosmos pagou US$ 3 bilhões (mais de R$ 11 bilhões) à Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) para ter os direitos de comercialização da Copa Davis por 25 anos. Assim, criaram um novo formato para a tradicional competição com 18 países jogando a fase final, durante uma semana, em uma única sede - a capital da Espanha foi a selecionada para 2019.

"Leo (Messi) sabe mais que qualquer um sobre isso porque ele está envolvido com a Kosmos. Ele é um sócio, ele é parte da família Kosmos. Ele gosta de tênis. Temos uma relação de 18 anos desde que ele chegou ao clube (Barcelona) e eu sempre tentei dividir coisas que penso. Ele adora fazer parte disso e ele quer fazer parte disso", disse Piqué, em entrevista para jornalistas britânicos, sem revelar valores.

Desde que entrou no mundo do tênis, Piqué tem sofrido para agradar os atletas da modalidade. "Tem sido a parte mais difícil (o retorno dos atletas), não vou te enganar. Houve diversas opiniões sobre o novo formato de competição. Há tenistas que gostam disso e outros que não. Nosso objetivo é que tudo acabe perfeito em novembro", afirmou.

Ex-número 1 do mundo, o australiano Lleyton Hewitt fez duras críticas ao zagueiro espanhol por causa das mudanças. Ele declarou que Piqué "não sabe nada sobre tênis", mas o zagueiro disse respeitar a posição do tenista. "Eu respeito a opinião dele porque é um tenista incrível. Eu só tenho a dizer que o Kosmos não é só o presidente, somos uma equipe. Uma equipe que conhece e entende de tênis e tem ex-jogadores como Albert Costa e Galo Blanco, que já jogaram Copa Davis e Grand Slams", comentou.

Já o suíço Roger Federer sugeriu que a Copa Davis corre o risco de virar a "Copa Piqué". O zagueiro do Barcelona odiou isso. "Não gostei disso porque não se trata de mim e não quero o meu nome na competição. A história da Copa Davis é muito grande. Espero que possamos mudar essa opinião. Após alguns anos, espero que eles falem: 'Nós estávamos errados. A Copa Davis está mais viva do que nunca'", completou Piqué.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.