Thomas Kienzle/AFP
Thomas Kienzle/AFP

Pliskova e Kvitova vencem e checas abrem 2 a 0 sobre alemãs na semi da Fed Cup

Tenistas passaram pelas alemãs Julia Goerges e Angelique Kerber, ambas em dois sets

Estadão Conteúdo

21 de abril de 2018 | 11h46

Petra Kvitova e Karolina Pliskova venceram as partidas que disputaram neste sábado, em Stuttgart, e deixaram a República Checa em vantagem de 2 a 0 sobre a Alemanha em confronto válido pelas semifinais da Fed Cup, a versão feminina da Copa Davis de tênis.

Nishikori elimina Cilic e encara Zverev na semifinal em Monte Carlo

Mais notícias de tênis

No primeiro duelo da série melhor de cinco partidas deste confronto entre os dois países, realizado em quadras de saibro na Porsche Arena, Kvitova, 10ª colocada do ranking mundial, superou a Julia Goerges, 11ª da WTA, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2.

Logo em seguida, Pliskova também justificou com relativa tranquila a sua condição de sexta tenista do mundo ao passar por Angelique Kerber, também em sets diretos, por 7/5 e 6/3, no duelo no qual a ex-número 1 do mundo e hoje 12ª colocada fracassou na tentativa de aumentar as chances de classificação das alemãs à decisão da Fed Cup.

Para isso, o seu país agora terá de ganhar os três jogos previstos para este domingo, quando Goerges abrirá o dia contra Pliskova e na sequência Kerber enfrentará Kvitova. As tenistas da casa buscarão triunfos nestas partidas para dar chance para a Alemanha conquistar a sua vaga na decisão no duelo de duplas, com as locais Anna-Lena Groenefeld e Tatjana Maria encarando Katerina Siniakova e Barbora Strycova.

Dez vezes campeã da Fed Cup, a República Checa ainda defende uma vantagem de sete vitórias em oito embates contra a Alemanha na história da Fed Cup. As alemãs só conseguiram superar a rival uma vez, em 1987, quando a ex-número 1 do mundo Steffi Graf fazia parte da sua equipe em um encontro ocorrido em Vancouver, no Canadá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.