Andrew Couldridge/Reuters
Andrew Couldridge/Reuters

Polêmico entre tenistas, presidente da ATP revela que deixará cargo no fim do ano

Chris Kermode ocupa a cadeira presidencial desde 2013, e tem entrevero com o sérvio Novak Djokovic

Redação, Estadão Conteúdo

07 de março de 2019 | 18h46

A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP, na sigla em inglês) terá uma nova chefia a partir de 2020. Nesta quinta-feira, o britânico Chris Kermode, polêmico entre os principais astros da modalidade, anunciou que não permanecerá à frente do órgão que comanda o circuito profissional masculino. A decisão foi tomada após uma reunião de mais de seis horas em Indian Wells, nos Estados Unidos, onde está sendo realizado o primeiro Masters 1000 da temporada.

Aos 54 anos, Chris Kermode assumiu a presidência da ATP em 2013 e está em seu terceiro mandato como CEO da entidade. Seu cargo está garantido até o final da atual temporada.

Entre os principais tenistas houve uma certa polêmica sobre qual deveria ser o futuro do britânico. Número 1 do mundo e presidente do Conselho dos Jogadores, o sérvio Novak Djokovic defendia a não continuação do atual mandatário. Já o suíço Roger Federer e o espanhol Rafael Nadal disseram, em entrevistas coletivas em Indian Wells nesta quinta-feira, que ele era uma boa pessoa para prosseguir no cargo.

"É um privilégio ser o presidente da ATP desde 2013. Tenho muito orgulho do que conquistamos durante esse período. Gostaria de agradecer a todos na ATP e a todos os jogadores e torneios pelo apoio ao longo dos anos. Continuo totalmente dedicado ao cargo até o restante do meu mandato e desejo à organização todo o sucesso para o futuro", disse Chris Kermode, em um comunicado oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.