Divulgação/Aberto de Wimbledon
Divulgação/Aberto de Wimbledon

Por causa da pandemia, Wimbledon vai proibir tenistas de alugar casa perto do local dos jogos

Organização do torneio quer que competidores se hospedem em hotéis para respeitarem mais o isolamento social

Redação, Estadão Conteúdo

12 de março de 2021 | 14h08

Preocupada com a pandemia, a organização de Wimbledon vai proibir os tenistas de alugarem casas nos arredores do All England Club, no subúrbio de Londres, de acordo com o jornal britânico Daily Mail. Os atletas terão que ficar hospedados em hotéis no centro da capital inglesa.

A ideia é reduzir o contato dos tenistas com o mundo exterior, quase como se fosse uma "bolha". Mas os organizadores ainda não confirmaram se vão adotar este formato mais rígido, como fizeram o US Open do ano passado e o Aberto da Austrália deste ano. No caso do segundo, os tenistas podiam sair do quarto apenas por cinco horas por dia.

Alugar uma casa ou apartamento nos arredores de Wimbledon é hábito comum entre os tenistas porque o Grand Slam britânico fica longe do centro e não há muitas opções de hospedagem em suas cercanias. Alguns reúnem equipes e outros tenistas para morar provisoriamente na mesma casa. Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic costumam levar familiares e equipes para as mesmas casas que sempre alugam a poucos metros do All England Club.

Como o torneio começa somente no dia 28 de junho, a organização ainda trabalha com várias opções para a disputa dos jogos. Poderia ser sem torcedores ou com poucos deles nas arquibancadas. É possível ainda um formato normal, como antes da pandemia, a depender da velocidade do processo de vacinação no Reino Unido.

O Grand Slam britânico foi o único dos quatro torneios deste nível que não foi realizado no ano passado, em razão da pandemia. Para este ano, a organização não trabalha com a possibilidade de cancelamento ou adiamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.