Seth Wenig / AP
Seth Wenig / AP

Por que Novak Djokovic foi desqualificado do US Open?

Tenista sérvio acertou uma bola na juíza de linha e foi eliminado do torneio nos Estados Unidos

Ben Rothenberg, The New York Times

07 de setembro de 2020 | 17h34

A desclassificação de Novak Djokovic no US Open, depois de acertar uma bola na juíza de linha com uma forte raquetada na direção da linha de fundo da quadra, frustrado com uma má jogada, talvez seja a pena mais exorbitante já vista na história do mundo.

Sua ação se enquadra na definição do manual de regras de Grand Slam, de “abuso físico”, que estipula que os jogadores “não podem em nenhum momento atingir fisicamente alguma autoridade, oponente, espectador ou qualquer outra pessoa dentro do recinto onde se realiza o torneio”.

As disposições do manual sujeitam o jogador a uma multa de até US$ 20.000 por cada violação dessa regra, com a possibilidade de a pena ser intensificada se considerada uma “ofensa importante”.

Em circunstâncias que são flagrantes e particularmente danosas para o sucesso de um torneio, ou excepcionalmente ofensivas, uma única violação deste artigo constitui uma ofensa maior sujeita a penalidades adicionais de agora em diante estipuladas.

A pena mais severa no caso de “comportamento agravado” é de uma multa de até US$ 250.000 ou todo o valor do prêmio conquistado no torneio, mesmo que seja maior, e uma penalidade máxima de suspensão permanente de participação em todos os torneios de Grand Slam. Djokovic ganhou exatamente US$ 250.000, tendo chegado à quarta rodada do US Open.

Em comunicado, a Associação de Tênis dos Estados Unidos declarou que: “de acordo com o manual de regras do Grand Slam, após sua ação visando a lançar intencionalmente uma bola perigosamente e imprudentemente dentro da quadra ou lançar uma bola sem avaliar negligentemente as consequências, o árbitro do torneio do U.S. Open desclassificou Novak Djokovic do U.S. Open 2020. Deste modo, Djokovic perderá todos os pontos no ranking obtidos no U.S. Open e deve pagar uma multa equivalente ao prêmio em dinheiro conquistado no torneio, além de todas as multas impostas com relação ao incidente ofensivo”.

Incidentes envolvendo jogadores de tênis atingindo autoridades na quadra são raros, mas há precedentes. Já ocorreram dois casos famosos, mas nenhum implicou a desqualificação de um jogador cabeça de chave num Grand Slam.

Num jogo da Copa Davis em 2017, em Ottawa, Denis Shapovalov, então com 17 anos, num acesso de raiva, deu uma tacada com força na bola que atingiu o árbitro Arnaud Gabas no olho e ele ficou com a visão temporariamente prejudicada.

Na fim do torneio Queen’s Club, em Londres, em 2012, o argentino David Nalbandian chutou uma caixa de madeira que estava na frente de um juiz de linha sentado, o que fez sangrar a perna do juiz.

Com Rafael Nadal e Roger Federer não competindo, e Marin Cilic e Andy Murray sofrendo derrotas na primeira semana de jogos, a saída de Djokovic deixa o torneio sem nenhum jogador que tenha conquistado o Grand Slam anteriormente. Será a primeira vez num campeonato individual de Grand Slam desde Cilic no U.S.Open em 2014.

Djokovic não é o primeiro campeão a ter um torneio terminado em controvérsia. No U.S. Open em 2009, Serena Williams recebeu uma penalidade num match point, finalizando o jogo, depois de ameaçar enfiar uma bola na garganta de uma juíza de linha que apitou uma falta de pé da jogadora.

No Open da Austrália em 1990, John McEnroe foi desclassificado num jogo na quarta rodada por ofensas verbais contra autoridades em campo. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.