AP Photo/Alastair Grant
AP Photo/Alastair Grant

Presidente da Sérvia denuncia 'perseguição política' contra Djokovic após veto na Austrália

Aleksandar Vucic afirma que outros atletas entraram no país sob as mesmas condições; governo sérvio tenta resolução o mais rápido possível

Redação, AFP

06 de janeiro de 2022 | 09h19

O presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, denunciou nesta quinta-feira "uma perseguição política" do tenista Novak Djokovic, cujo visto foi cancelado pelas autoridades australianas. O político destaca que vários jogadores foram autorizados a entrar na Austrália nas mesmas condições, ao contrário do que aconteceu com o tenista sérvio. O número 1 do mundo permanece retido em um hotel, à espera da resolução judicial de seu caso

"O que não é jogo limpo é a perseguição política (contra Djokovic), da qual participam todos, incluindo o primeiro-ministro da Austrália, fingindo que as regras são válidas para todos", disse Vucic à imprensa.

As autoridades sérvias estão fazendo "todo possível" para ajudar Djokovic. Belgrado disse ter entrado duas vezes em contato com o embaixador australiano na Sérvia e que a primeira-ministra, Ana Brnabic, vai falar com uma autoridade de alto escalão do governo australiano. 

O governo sérvio vai pedir às autoridades australianas que permitam a Djokovic ficar na casa que havia alugado para o Aberto da Austrália, e não no hotel onde se encontra atualmente. Vucic chamou a instalação de "infame". 

"Acho que esse tipo de fúria política sobre Novak vai continuar para que eles possam provar algo. Quando você não pode vencer alguém, então você se dedica a esse tipo de coisa", acrescentou. 

A Austrália cancelou nesta quinta-feira o visto de Djokovic, que chegou ao aeroporto de Melbourne sem os documentos necessários para entrar no país, informou a alfândega australiana. O tenista número 1 do mundo, que não esconde seu ceticismo em relação às vacinas, anunciou a obtenção de uma liberação médica para poder viajar para a Austrália. 

O primeiro Grand Slam da temporada será disputado no país, de 17 a 30 de janeiro, um torneio no qual Djokovic foi nove vezes campeão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.