Hamish Blair/AP
Hamish Blair/AP

Rafael Nadal destaca luta para seguir jogando e celebra 21º Gram Slam: 'Simplesmente incrível’

Vitória sobre o russo Daniil Medvedev faz o tenista espanhol, de 35 anos, reconsiderar a aposentadoria: 'Seguirei tentando, dando o meu melhor para estar de volta aqui no ano que vem'

Redação, Estadão Conteúdo

30 de janeiro de 2022 | 13h59

Rafael Nadal é uma lenda do tênis, mas se alguém dissesse, em 2021, que ele seria campeão do Aberto da Austrália da atual temporada, poucos concordariam com a afirmação. O próprio tenista, inclusive, teria suas dúvidas, pois passou os últimos meses cogitando se aposentar, possibilidade que acabou descartada em meio a muita luta até a conquista do troféu do major australiano neste domingo, após uma virada "simplesmente incrível", em suas próprias palavras, na final contra o russo Daniil Medvedev.

O espanhol sofreu com problemas físicos durante todo o ano passado, tanto que desistiu de participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Mais tarde, descobriu uma lesão crônica no pé e precisou encerrar a temporada em setembro. Quando conseguiu voltar a competir, em um torneio de exibição em Abu Dabi, em dezembro, foi diagnosticado com covid-19 uma semana depois.

"Para mim, é simplesmente incrível. Um mês e meio atrás eu não sabia se estaria de volta e hoje eu estou aqui segurando esse troféu", disse após o título do Aberto da Austrália. "Vocês não sabem o quanto eu lutei para estar aqui. Não consigo agradecer a todos o suficiente. Sem dúvidas, foi um dos momentos mais emocionantes da minha carreira", completou.

De volta no início deste ano, mostrou toda a sua força em Melbourne e celebrou o 21º Grand Slam da carreira, o que o tornou o maior campeão isolado desse tipo de torneio. O sérvio Novak Djokovic, que não participou da disputa porque não se vacinou contra a covid-19, e o suíço Roger Federer, cada um com 20 títulos, foram deixados para trás, empatados em segundo lugar.

Agora, o assunto da aposentadoria já é tratado de uma outra maneira, principalmente em razão de como o título foi conquistado. Aos 35 anos, Nadal jogou mais de 5 horas contra um adversário de 25 anos e conseguiu reagir após perder os dois primeiros sets. Com um desempenho desses, ficou difícil não se animar com a sequência da temporada.

"Estas três semanas vão ficar no meu coração pelo resto da minha vida. Um mês atrás talvez eu dissesse que esse seria meu último Australian Open, mas seguirei tentando, dando o meu melhor para estar de volta aqui no ano que vem", afirmou o espanhol, que também aproveitou para agradecer Medvedev pela emocionante partida. "Eu sei que é um momento difícil, Daniil. Você é um campeão incrível. Eu estive nesta posição algumas vezes tentando conquistar esse troféu", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.