Leo Correa/Estadão
Leo Correa/Estadão

Rafael Nadal sofre, vence compatriota de virada e vai à final do Rio Open

Número 1 do mundo derrota Pablo Andujar por 2 sets a 1 e disputa final contra Dolgopolov

AE, Agência Estado

22 de fevereiro de 2014 | 22h12

RIO - A torcida brasileira levou um susto neste sábado nas arquibancadas da Quadra Central do Rio Open. Depois de ver David Ferrer ser eliminado na primeira semifinal do dia, os fãs do tênis assistiram a uma partida duríssima entre os espanhóis Rafael Nadal e Pablo Andujar, que quase culminou na queda do número 1 do mundo. O favorito, mesmo distante de suas melhores apresentações, acabou vencendo de virada pelo placar de 2/6, 6/3 e 7/6 (12/10).

Ao vencer o compatriota, Nadal garantiu vaga em sua terceira decisão da temporada. Antes, havia vencido o Torneio de Doha e tinha ficado com o vice-campeonato do Aberto da Austrália, primeiro Grand Slam do ano. Na final deste domingo, o líder do ranking terá pela frente o ucraniano Alexandr Dolgopolov, algoz do também espanhol David Ferrer.

E, para avançar a mais uma decisão no Brasil (foi duas vezes campeão do Brasil Open), Nadal precisou mostrar grande poder de superação. Em noite pouco inspirada, ele teve dificuldade para conter o bom tênis exibido por Andujar, que terminou a partida com 48 bolas vencedoras, contra 40 do favorito. O adversário chegou a salvar três match points antes de ceder a vitória ao cabeça de chave número 1 do torneio.

O JOGO

Andujar, que tem apenas dois títulos na ATP, teve um começo de jogo arrasador neste sábado. Ele surpreendeu a torcida brasileira ao quebrar o saque do favorito logo no primeiro game da partida. E não parou por aí. Sem disfarçar a condição de "zebra", Andujar soltava o braço em toda oportunidade e conseguia devoluções incríveis, que surpreendiam Nadal.

Nesse ritmo, o 40º do ranking se impôs novamente no saque do número 1 do mundo e não teve problemas para vencer o set inicial. Enquanto Andujar brilhava, Nadal tinha dificuldade com o primeiro serviço e cometia erros inesperados no fundo de quadra. Mesmo assim, não se abateu com o fraco desempenho no set inicial e reagiu na sequência. A primeira quebra veio no quarto game, quando abriu 3/1, se defendeu bem das investidas de Andujar e encaminhou o set, igualando o placar.

O empate não afetou o rendimento de Andujar. Ele recobrou a confiança do início no terceiro set e voltou a pressionar o saque de Nadal. Com dificuldade, o número 1 tentava se impor no jogo e enfim ficou em vantagem ao quebrar o saque do rival no sétimo game. Andujar, porém, devolveu logo em seguida e o duelo precisou ser definido em um equilibrado tie-break.

Nadal e Andujar se revezaram na liderança do placar e mostraram intensidade em cada ponto disputado. Ao todo, cada tenista teve três match points, mas somente o número 1 do mundo conseguiu converter uma de suas chances, sacramentando um suado triunfo após 2h46min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.