Dean Lewin/EFE
Dean Lewin/EFE

Rafael Nadal vira sobre Medvedev em final emocionante e é campeão do Aberto da Austrália

Tenista espanhol começou perdendo por 2 sets a 0, mas teve força para virar sobre o russo e conquistar o 21º título de Grand Slam da carreira

Redação, Estadão Conteúdo

30 de janeiro de 2022 | 11h15

Rafael Nadal levou as mãos ao rosto, desacreditado, e abriu o sorriso mais largo possível neste domingo ao conquistar seu 21º título de Grand Slam, com uma virada espetacular sobre o russo Daniil Medvedev. Após perder os dois primeiros sets, a lenda espanhola ganhou a final do Aberto da Austrália, em Melbourne, por 3 sets a 2, com parciais de 2/6, 6/7 (5/7), 6/4/ 6/4 e 7/5, após mais de cinco horas de jogo.

Agora, Nadal está isolado como o maior campeão de majors da história, deixando para trás Novak Djokovic, que ficou fora do torneio australiano por não ter se vacinado contra a covid-19, e Roger Federer, ambos donos de 20 títulos do nível. Além disso, se coloca ao lado do sérvio na prateleira dos únicos tenistas que possuem pelo menos dois títulos de cada um dos Grand Slams.

 

O canhoto de Mallorca venceu o primeiro major há cerca de 17 anos, quando conquistou Roland Garros aos 19. Na época, Medvedev tinha nove anos. Depois disso, vieram mais 12 títulos do Grand Slam francês, dois em Wimbledon e quatro no US Open. Na Austrália, onde agora tem duas conquistas, venceu pela primeira vez em 2009.

No ano passado, Nadal passou em branco e viveu um momento cheio de dúvidas em relação à continuidade da carreira. Já veterano, descobriu uma lesão crônica no pé e precisou do auxílio de muletas para se locomover durante o tratamento, que o obrigou a encerrar a temporada em setembro. Ainda convivendo com dores, seguiu em frente e voltou a jogar neste início de ano, apesar de já ter confessado que pensou em parar, e provou, neste domingo, que o tênis teria perdido muito caso tivesse decidido se aposentar.

Agora com 90 títulos no circuito profissional, o espanhol de 35 anos entrou também para lista dos mais velhos vencedores do Aberto australiano, atrás de Ken Rosewall e Federer, campeões em Melbourne aos 36. Na atual temporada de torneios de nível ATP, ninguém comemorou mais triunfos do que ele, vencedor de dez partidas. 

Nadal começou o primeiro set perdendo e conseguiu a virada por 2 a 1, mas logo viu Medvedev ganhar dois games seguidos e confirmar a quebra de saque. A partir daí, o russo foi avassalador e não deixou o espanhol vencer mais nenhum game, fechando a parcial em 6 a 2. O set seguinte foi muito mais equilibrado, tanto que ficou empatado por 6 a 6 e foi levado ao tie-break, no qual Nadal abriu 5 a 3, mas levou a virada e perdeu por 5 a 7.

Com duas parciais de vantagem para Medvedev, a situação do veterano de 35 anos ficou complicada, mas logo lembrou o adversário a razão de figurar entre os gigantes do tênis. O terceiro set foi caminhando com cada tenista vencendo um game, alternadamente, até Nadal tomar a dianteira por 5 a 4 e ampliar para seis ao vencer o game por 40 a 0, fechando a parcial com vitória. 

A partida já tinha mais de três horas de duração quando começou o quarto set. Medvedev saiu na frente vencendo o primeiro game e deu sinais de que talvez estivesse melhor fisicamente. Na sequência, Nadal buscou a virada e levou o empate, mas reconquistou a vantagem e não a perdeu mais, até fechar o set com 6/4, em uma reação incrível.

A história do jogo fez Nadal chegar ao set final com muita confiança e apoiado intensamente por boa parte da torcida, que vibrava com seus pontos, cheia de energia mesmo após cinco horas de jogo. Isso não impediu que Medvedev continuasse o desafiando de igual para igual. O russo salvou um break-point ainda no primeiro game, antes de enfrentar mais dois e sofrer a quebra no segundo. As tentativas de empate foram frustradas por três breaks salvos por Nadal, que cresceu cada vez mais, apesar do sofrimento diante de um adversário tão grande quanto ele. Quando vencia por 6 a 5, buscou mais uma quebra, sacou e viu o russo acertar a bola na rede, garantindo o título com uma virada impressionante.

​Superação

O espanhol sofreu com problemas físicos durante todo o ano passado, tanto que desistiu de participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Mais tarde, descobriu uma lesão crônica no pé e precisou encerrar a temporada em setembro. Quando conseguiu voltar a competir, em um torneio de exibição em Abu Dabi, em dezembro, foi diagnosticado com covid-19 uma semana depois.

"Para mim, é simplesmente incrível. Um mês e meio atrás eu não sabia se estaria de volta e hoje eu estou aqui segurando esse troféu", disse após o título do Aberto da Austrália. "Vocês não sabem o quanto eu lutei para estar aqui. Não consigo agradecer a todos o suficiente. Sem dúvidas, foi um dos momentos mais emocionantes da minha carreira", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.