Rafter admite farsa em contusão

Recuperado da alegada contusão no cotovelo, com estranha rapidez, Patrick Rafter no jogo de duplas ao lado de Lleyton Hewitt, sequer acusou dores no braço direito. Jogou com desenvoltura, sem reclamar e nem mesmo deixar de sacar com a conhecida força. Deixando claro de que tudo não passou de uma farsa, apenas para se poupar para o jogo de duplas, Rafter respondeu com ironia quando o assunto foi sua rápida recuperação. "O Meligeni também estava com uma torção no tornozelo e jogou no dia seguinte", ironizou o tenista australiano.Rafter confessou, porém, que considera o ponto da dupla como crucial e depois acabou explicando que não se sentia mesmo em condições de reagir diante de Guga. "Estava diante do número 1 do mundo em quadras de saibro e precisava vencer ainda mais dois sets e achei melhor me poupar para a dupla". Lleyton Hewitt, adversário de Guga neste domingo, também demonstrou confiança. Disse que o saibro não é realmente a sua superfície preferida, mas está ganhando adaptação a este piso e vem conseguindo bons resultados. "Já ganhei seis sets diante do Brasil e estou muito confiante numa vitória diante de Guga, mesmo sabendo que o número 1 do mundo no saibro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.