Rafter agradece a juiz por ir à final

O australiano Patrick Rafter chega a sua segunda final consecutiva de Wimbledon, mas, desta vez, contou com uma boa ajuda dos juizes da partida. Seu adversário, nas semifinais, Andre Agassi estava a dois pontos de quebrar seu serviço no 6 a 6 do quinto e decisivo set, quando bateu uma devolução para fora e desabafou soltando um palavrão. Nada exagerado, muito alto, que toda torcida pudesse ouvir. Só que a fiscal de linha Wendy Smith julgou àquilo como um escândalo e correu em direção ao juiz de cadeira, Mike Morrisey para denunciar. Resultado: segundo a regra, Agassi foi advertido pelo código de conduta e, embora não tivesse punido por nenhum ponto, perdeu totalmente a concentração e jogo. Com esta vitória, de virada, Rafter passou a ser o primeiro finalista do torneio de Wimbledon, num jogo com 2h59 de duração definido por 3 sets a 2, parciais de 2/6, 6/3, 3/6, 6/2 e 8/6. Agassi chegou a estar em vantagem de 4 a 1, 5 a 3 e sacou com 5 a 4 no quinto set. Perdeu seu serviço e no 6 a 6 (no Grand Slam não há tiebreaker no último set) ocorreu a discussão com os juízes, abrindo a chance para o australiano marcar 8 a 6. "Não acho que a advertência tenha sido justa", concordou o próprio Rafter. "Afinal, só uma pessoa ouviu." Agassi, depois do jogo, não quis criar mais polêmica. Disse que ficou realmente desapontado, pois sentiu que teve muitas chances de vencer. Por isso, esbravejou ao final da partida, atirando sua raquete no chão, demonstrando toda sua decepção pelo resultado. Com a derrota de Agassi, o adversário de Rafter na final ainda não está definido. O inglês Tim Henamn liderava sua partida diante do croata Goran Ivanisevic por 2 sets a 1, quando o encontro foi suspenso por causa de chuva e está programado para recomeçar amanhã, antes da final feminina. O placar era de 5/7, 7/6 (8/6), 6/0 e 2 a 1 para o inglês, mas Goran iria sacar com 40 a 30. Na final feminina, a norte-americana Venus William em busca do bicampeonato de Wimbledon disse que confia muito na força de seu saque para vencer a revelação belga, Justine Henin, de 19 anos, na final deste sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.