Representante diz que Puerta é inocente

O empresário Jorge Brasero, representante do tenista argentino Mariano Puerta rebateu nesta sexta-feira a informação publicada pelo jornal francês L?Equipe, em que o tenista é acusado de ter utilizado doping durante o Torneio de Roland Garros. ?Ele é inocente até prova em contrário?, disse Brasero. ?Porque sempre perseguem a Argentina??, perguntou ele, em entrevista ao canal 13, de Buenos Aires. ?Será que o fato de a Argentina ter o 8º, 9º, 10º, 11º e 12º do ranking mundial est´pa incomodando tanto assim??, acrescentou o empresário. "A Federação Internacional de Tenis (FIT) ainda não se pronunciou a respeito e me parece lamntável que as pessoas que gostam do tênis tenha de ouvir uma coisa dessas?, disse.Finalista no Torneio de Roland Garros em 2005 - quando perdeu para o espanhol Rafael Nadal - Puerta teria apresentado resultado positivo para etilefrina, um medicamento do grupo das fentolaminas, indicado para a hipotensão aguda não grave ou para a hipotensão crônica de causa não orgânica. Em condições normais, o uso desta substância é punida com dois anos de suspensão, mas, devido à reincidência, o tenista pode chegar a ser suspenso definitivamente do tênis profissional. O argentino já sofreu uma suspensão de nove meses, de 1º de outubro de 2003 a 1º de julho de 2004, após seu teste dar positivo para clenbuterol, uma substância proibida que ele teria tomado para combater uma crise de asma durante o torneio chileno de Viña del Mar, em fevereiro de 2003.

Agencia Estado,

05 de outubro de 2005 | 12h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.