Ricardo Mello perde na estreia e confirma aposentadoria

Ricardo Mello disputou nesta segunda-feira sua última partida como profissional. Derrotado logo na estreia no Brasil Open, disputado no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, o tenista de Campinas confirmou a aposentadoria anunciada no fim de janeiro. Mello foi superado pelo argentino Martin Alund, "lucky loser", por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4.

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2013 | 21h01

Alund estava cansado por ter entrado em quadra mais cedo para disputar a última rodada do qualificatório, mas não deu chances ao brasileiro. Foi mais consistente e dominou o brasileiro com uma quebra de saque no set inicial e outras duas na segunda parcial. Alund ganhou vaga na chave principal ("lucky loser") por causa da desistência do argentino Leonardo Mayer, que alegou dores nas costas para abandonar a competição.

"Foi difícil me concentrar. Você acaba sentindo um pouco durante o jogo. Aí você pensa que pode ser sua última partida. Mas estou feliz por encerrar minha carreira aqui. Já estava decidido. Estou contente de poder jogar aqui, perto da família, dos meus amigos", declarou Mello, emocionado, ao fim do seu último jogo como profissional.

O tenista agradeceu a presença da família nas arquibancadas do Ibirapuera e o apoio de patrocinadores e equipe técnica. "Difícil expressar em pouca palavras o que eu vivi em 14 anos de tênis, de forma intensa. O que posso dizer é que minha experiência de vida é incrível. Ganhei muito com o tênis, conheci o mundo, pessoas maravilhosas, fiz amizades que vou levar para o resto da vida", comentou o tenista, que se tornou profissional em 1999.

Aos 32 anos, o canhoto Ricardo Mello acumulou 14 temporadas no circuito da ATP. Seu momento de maior brilho aconteceu em 2004, quando se sagrou campeão do Torneio de Delray Beach, nos Estados Unidos. Com o título, Mello se igualou a Thomaz Koch, Luiz Mattar, Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni, Jaime Oncins e Thomaz Bellucci, os únicos brasileiros com troféus de nível ATP.

Na época, obteve sua melhor colocação no ranking da ATP, na 50ª colocação. Mello ainda tem no currículo dez participações em confrontos da Copa Davis, com oito vitórias e sete derrotas.

O brasileiro, contudo, vinha caindo de rendimento nos últimos anos. Disputava torneios de menor relevância, no circuito Challenger. E acabou se destacando em outro torneio brasileiro, o Aberto de São Paulo, no qual é tetracampeão. Neste ano, porém, foi eliminado nas oitavas de final, já revelando pouca motivação nas competições. Ao todo, ele soma 15 títulos em torneios de nível Challenger.

No Brasil Open, de nível ATP 250, Mello obteve seu melhor resultado em 2005, quando foi semifinalista. Na ocasião, foi derrotado pelo jovem Rafael Nadal, que veio a se sagrar campeão - foi o primeiro de uma sequência de títulos que alçaram o espanhol ao epíteto simbólico de "Rei do Saibro".

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil OpenRicardo Mello

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.