Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Roger Federer bate Novak Djokovic e está na final do US Open

Número 1 do mundo enfrenta Juan Martin del Potro na decisão do torneio, nesta segunda-feira, às 17 horas

AE, Agencia Estado

13 de setembro de 2009 | 20h46

O número 1 do mundo provou mais uma vez neste domingo que é quase imbatível nas quadras duras de Flushing Meadows. Na semifinal diante do sérvio Novak Djokovic, o suíço Roger Federer controlou bem a partida para chegar à sua sexta final seguida do US Open, na qual vai em busca do hexacampeonato consecutivo. A decisão está prevista para às 17 horas (de Brasília) desta segunda, com acompanhamento do estadao.com.br.

Veja também:

especial US OPEN - Leia mais sobre o torneio

especial QUIZ - Responda às perguntas sobre o US Open

especial INFOGRÁFICO - Saiba tudo sobre o torneio

Em 2h34, Federer venceu por 3 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/3), 7/5 e 7/5, e aumentou para 40 partidas a sua invencibilidade no Grand Slam norte-americano. Ele enfrenta o argentino Juan Martin del Potro, atual número 6 do mundo.

Para manter o bom retrospecto que tem contra o atual numero 4 do mundo - agora são nove vitórias de Federer contra quatro de Djokovic -, o líder do ranking mundial mostrou tranquilidade nos momentos decisivos e nas poucas oportunidades em que esteve atrás no placar. Uma delas aconteceu logo no início, quando o sérvio quebrou o saque do suíço e fez 4 a 2. Na sequência, porém, levou o troco de Federer e a decisão foi para o tie-break.

No final da primeira parcial, o atual campeão de Roland Garros e Wimbledon começou a dar sinais de que Djokovic dificilmente conseguiria o feito de eliminar o pentacampeão do US Open. Seguro, Federer abriu 5 a 2 e depois fez 1 a 0 no jogo. Os sets seguintes continuaram com o suíço dominando o confronto. Em cada parcial, ele conquistou uma quebra para evitar o tie-break e ainda reservou para o penúltimo ponto um lance espetacular.

Não satisfeito com seus 49 winners na partida, contra 33 de Djokovic, além do ótimo aproveitamento no primeiro serviço, de 78%, Federer manteve a agressividade e subiu à rede para tentar o ponto. Esperto, o sérvio tentou encobri-lo, mas provou toda a genialidade do maior vencedor de Grand Slams da história. Com uma rebatida de costas, por entre as pernas, o suíço mandou a bola no fundo da quadra de Djokovic, que praticamente entregou depois o match-point.

Na final do US Open, Federer encontrará o argentino Juan Martín Del Potro, que impressionou por eliminar o espanhol Rafael Nadal com facilidade, com um triplo 6/2. Enquanto Del Potro disputa sua primeira decisão de Grand Slam, o suíço vai em busca do seu 16.º troféu deste porte na carreira. No confronto direto, o número 1 leva ampla vantagem, com 6 a 0.

(alterado às 21h24 para correção de informação) 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.