Divulgação/ATP
Divulgação/ATP

Rogerinho arrasa alemão e se sagra campeão de challenger na Austrália

Brasileiro, que completará 35 anos no início de fevereiro, não levantava um troféu desde abril de 2017

Redação, Estadão Conteúdo

06 Janeiro 2019 | 09h37

O tenista Rogério Dutra Silva não poderia ter finalizado melhor a sua preparação para a disputa do qualifying do Aberto da Austrália. Neste domingo, o atual número dois do Brasil se sagrou campeão do Challenger de Playford, também em solo australiano, ao arrasar na final o alemão Mats Moraing por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2, em apenas 1 hora de jogo.

Rogerinho, que completará 35 anos no início de fevereiro, não levantava um troféu desde abril de 2017, quando foi campeão do Challenger da Cidade do Panamá. Desde então, chegou a uma final, em Bordeaux, em maio do mesmo ano, mas ficou com o vice-campeonato.

Com o triunfo, o brasileiro deve dar boa subida no ranking da ATP. Atual 159º colocado, ele deve figurar no 133º posto na lista a ser atualizada na segunda-feira. No dia seguinte, terá início do qualifying do Aberto da Austrália. Boas atuações na disputa podem colocar Rogerinho perto novamente do Top 100.

"[Quero] Agradecer a Deus, a minha família e, principalmente, a minha esposa e a minha filha por estar sempre ao meu lado. E também a toda a minha equipe, por estarem fazendo esse trabalho fantástico comigo", comemorou o brasileiro, que vem treinando na Argentina nos últimos anos.

Na final deste domingo, Rogerinho deu poucas chances ao rival, atual 150º do mundo. O brasileiro não teve o serviço ameaçado em nenhum momento da partida. Ao mesmo tempo, pressionou o saque do alemão do começo ao fim do duelo, faturando três quebras em seis oportunidades, para sacramentar a vitória e o título.

Com o troféu nas mãos, Rogerinho deve conhecer nesta segunda o seu adversário de estreia na chave do quali do Aberto da Austrália. E também o caminho para tentar entrar na chave principal do primeiro Grand Slam da temporada, em Melbourne.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.