Safin determina o fim da festa

Conhecido festeiro, o tenista russo Marat Safin parece que resolveu encerrar o grande período de comemorações após a conquista do título do Aberto da Austrália, em janeiro, e reencontrou-se com as vitórias. No Masters Series de Montecarlo, pela primeira vez, desde que venceu em Melbourne, ganha duas partidas seguidas numa competição da ATP. Em Dubai perdeu na estréia para Nicolas Kiefer, caiu na segunda rodada em Indian Wells, para Taylor Dent, e nesta mesma fase em Miami, para Dominik Hrbaty. "Acho que realmente estou de volta", disse o bem humorado Safin, após sua vitória sobre o francês Cyril Saunier, por 6/3 e 6/1, ganhando uma vaga na terceira rodada do Masters Series. "Mas ainda é muito cedo para pensar em título. Sinto que estou melhor do que ontem (quando ganhou de Hyung Taik Lee), só que no saibro preciso de um tempo maior para adaptação." Para quem já espera um duelo de Safin com Roger Federer, numa possível final em Montecarlo, o tenista russo adverte que terá pela frente, nesta quinta-feira, o espanhol Juan Carlos Ferrero, ex-campeão de Roland Garros e bicampeão em Mônaco. Fererer já parecia estar bem mais confiante. Ganhou do espanhol Albert Montañes por 6/3 e 6/4 e revelou seu entusiasmo. "É sempre muito bom vencer um adversário espanhol numa quadra de saibro. É um belo teste", disse o número 1 do mundo que não esconde o desejo de vencer no saibro de Roland Garros e conquistar o único troféu de Grand Slam, que ainda não tem. Federer enfrenta nesta quinta-feira o chileno Fernando Gonzalez, um especialista no saibro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.