Safina supera Schnyder e chega à final do Aberto de Madri

Número um do mundo não tem problemas para fazer 2 sets a 0; rival na decisão é Caroline Wozniacki

IAIN ROGERS, REUTERS

16 de maio de 2009 | 11h56

A número um do ranking feminino Dinara Safina recuperou sua boa forma na vitória sobre a suíça Patty Schnyder por 6-4 e 6-2 na semifinal do Aberto de Madri neste sábado.

Depois de conquistar o título em Roma na semana passada, a russa de 23 anos agora busca o segundo título consecutivo no saibro neste torneio em Madri, e jogará a final contra a pré-classificada Caroline Wozniacki.

A dinamarquesa de 18 anos venceu com o placar de 7-6 e 6-3 a ex-número um do mundo Amelie Mauresmo, resultado que assegurou presença em sua quarta final neste ano.

Safina quebrou o saque de Schnyder já no primeiro game da partida, com o sol batendo no novo estádio chamado Caixa Mágica, e abriu vantagem de 3-0.

Schnyder então devolveu a quebra assim que começaram a aparecer os erros no jogo de Safina, mas a russa acabou se mostrando poderosa demais para sua oponente de 30 anos e, três quebras a mais após a reação da suíça, a número um se viu na vantagem por 5-2, sacando para fechar o primeiro set.

Ela conquistou o ponto na segunda chance que teve, quando Schnyder jogou para fora uma devolução de forehand.

A francesa Mauresmo, que venceu dois títulos de grand slam na carreira, perdeu uma chance de fechar o primeiro set contra Wozniacki neste sábado,e acabou deixando o set ser decidido no tie-break, no qual acabou derrotada por 7-1.

As duas trocaram quebras no início do segundo set, antes que a dinamarquesa aumentasse o ritmo no sexto game e conquistasse uma quebra, que a deixou na liderança por 4-2.

SEMANA DURA

Mauresmo chegou a salvar um match point com uma winner de backhand tipicamente elegante, mas logo depois rebateu um forehand para fora, o que garantiu o lugar de Wozniacki na final deste domingo.

"Foi apertado, uma boa briga, ela me fez jogar um pouco a mais em cada jogada", disse Mauresmo, 29 anos, em entrevista coletiva.

"Eu gostaria de ter tido um pouco a mais de energia para ser mais competitiva nesta partida de hoje."

"Depois de uma semana dura, é um pouco frustrante para mim ter sucumbido por razões físicas, mas é assim que as coisas são."

Wozniacki conquistou o título em Ponte Vedra Beach e foi vice-campeã em Memphis e Charleton neste ano, e tem tudo para ser a primeira tenista dinamarquesa a chegar entgre as 10 melhores do ranking mundial, o que deve acontecer quando a nova lista for divulgada na próxima segunda-feira.

"Eu já bati alguns recordes dinamarqueses e conseguir superar este é ótimo, um grande passo para mim," disse Wozniacki em entrevista coletiva.

"Agora eu estou mais perto do lugar onde quero estar," acrescentou ela.

"Eu quero me tornar número um do mundo e vencer um grand slam, mas eu prefiro pensar que estou dando um passo de cada vez. Eu sei que preciso melhorar em algumas coisas e logo verei o quão longe poderei chegar."

Tudo o que sabemos sobre:
WTADinara Safina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.