Saretta estréia amanhã no US Open

Em meio ao verdadeiro carnaval eleitoral com a convenção Republicana que acontece esta semana em Nova York, começa nesta segunda-feira, no subúrbio de Queens, a maior festa do tênis mundial: a 124ª edição do US Open, torneio com quase US$ 18 milhões de prêmios e conhecida vitrine de negócios do esporte. O Brasil tem três jogadores na chave principal. Flávio Saretta é o único a estrear na rodada de abertura desta segunda-feira, jogando diante do alemão Florian Mayer, por volta das 20 horas de Brasília. Gustavo Kuerten, que pega na primeira rodada o dinamarquês Kristian Press, e Ricardo Mello, que passou pelo qualifying e joga com o argentino Juan Ignacio Chela, só jogam na terça-feira. No embalo da Olimpíada de Atenas, os organizadores prometem uma grande festa de abertura, inclusive com homenagem aos medalhistas, como a belga Justine Henin-Hardenne e o chileno Nicolas Massu. Em quadra, o torneio começa com mais de 50 jogos - entre eles, há a estréia do número 1 do mundo, o suíço Roger Federer, diante de um antigo campeão de Roland Garros, o espanhol Albert Costa. A sessão noturna promete fazer a festa dos norte-americanos, com a estréia de Serena Williams diante da checa Sandra Kleinova e o duelo de Andre Agassi - que pode estar disputando o seu último US Open - contra o também norte-americano Robby Ginepri. Para Flávio Saretta, este US Open representa uma nova fase em sua carreira. Ele desistiu de trabalhar com Fernando Roese como técnico, com quem viveu uma período bastante ruim em termos de resultados. Agora, em Nova York, o tenista brasileiro tem a responsabilidade de defender os pontos conquistados por ter ido à terceira rodada do ano passado. Enquanto isso, Guga, apesar da fase sem resultados expressivos, mantém seu carisma no mundo do tênis. Por conta disso, participou neste domingo de uma longa entrevista com o novo canal de cabo norte-americano Tennis Channel. No programa apresentado por Chris Mayer, o brasileiro falou por mais de 40 minutos sobre sua carreira, detalhando curiosidades dos primeiros anos no circuito até os melhores momentos em Roland Garros e as quartas-de-final do US Open.

Agencia Estado,

29 Agosto 2004 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.